16.4 C
São Paulo
domingo, 26 junho, 2022
Mais

    Governo de SP celebra 20 anos da Lei Estadual 10.948, que pune quem discrimina alguém em razão da orientação sexual

    Mais lidas

    Legislação pune administrativamente a discriminação em razão de orientação sexual ou identidade de gênero 


    O Governo do Estado de São Paulo e Secretaria da Justiça e Cidadania, por meio da Coordenação de Políticas para a Diversidade Sexual, celebram nesta sexta-feira (05), às 10h, os 20 anos da Lei 10.948/2001 que pune administrativamente a discriminação em razão de orientação sexual e/ou identidade de gênero. Na ocasião também será lançada a Campanha “Mais ReSPeito”, o Portal “Mais ReSPeito”, além da iluminação da fachada do Palácio dos Bandeirantes, local que ocorrerá o evento – Sala São Paulo. 

    O evento contará com as presenças do secretário da Justiça e Cidadania Fernando José da Costa, da secretária da Pessoa com Deficiência, Célia Leão, da presidente da Associação dos Advogados de São Paulo, Viviani Girardi, e do delegado geral da Polícia Civil, Rui Ferraz. 

    “A primeira ação dos 20 anos da Lei ocorreu no dia 29 de janeiro, Dia Nacional da visibilidade Trans, com o lançamento da 4ª edição da cartilha “Diversidade Sexual e a Cidadania LGBTI+”, publicação elaborada para ser um instrumento de conscientização sobre o necessário respeito à diversidade”, destacou Fernando José da Costa. 

    “Não é só em junho que celebramos a diversidade. Temos que mobilizar o poder público, iniciativa privada e a sociedade civil para, especialmente, garantir a cidadania, a defesa da democracia e a dignidade humana da população LGBTQIA+. Hoje podemos nos orgulhar de as conquistas e enfrentar o desafio de promover novas conquistas”, explica o Coordenador de Políticas para a Diversidade Sexual, Marcelo Gallego. 

    Campanha Mais ReSPeito 

    A campanha Mais Respeito, idealizada e criada pela Secretaria da Justiça e Cidadania, por meio da Coordenação de Políticas para a Diversidade Sexual, tem como objetivo combater a LGBTfobia no Estado de São Paulo, divulgar a cultura do respeito e as iniciativas relacionadas aos direitos da população LGBTQIA+, e fomentar os serviços públicos voltados para essa população. 

    Além disso, o projeto também visa à criação de ferramentas online de acesso a serviços para a população LGBTQIA+. A nova campanha conta com uma nova identidade visual em diversas peças publicitárias, bem como novos Botons, Pins, Sacolas Ecológicas, Sacolas em TNT, Folders, Flyers, Cartazes e Camisetas.  

    Vídeos de conscientização serão publicado nas redes da Secretaria dos Transportes Metropolitanos e das empresas vinculadas à pasta. Além disso, ainda terá a exibição de vinhetas alusivas à data nas mídias dos trens e estações da CPTM e Metrô. 

    Portal Mais ReSPeito 

    O Estado de São Paulo sempre foi inovador na adoção de políticas públicas de enfrentamento à LGBTfobia, entre elas, a Lei Estadual nº 10.948/2001, de 05 de novembro de 2001, que pune administrativamente a discriminação em razão de orientação sexual e/ou identidade de gênero. 

    A Secretaria da Justiça e Cidadania é a guardiã dessa importante política pública, e nesses 20 anos a cultura do respeito e o combate à LGBTfobia tornaram-se uma das principais missões da Pasta.  Em 2009, com a criação da Coordenação de Políticas para a Diversidade Sexual (CPDS), a Lei ganhou mais efetividade e desde então é amplamente divulgada. 

    Legislação modelo 

    A Lei Estadual nº 10.948, que serviu de modelo para outros estados da Federação, tem caráter educativo e punitivo.  

    Por meio do convênio firmado entre a Secretaria da Justiça e Cidadania e o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, via CEJUSC – Centros Judiciários de Solução de Conflitos é possível a resolução de alguns conflitos via mediação. 

    Nos casos em que não há conciliação, o secretário da Justiça e Cidadania instaura processo administrativo com base na Lei Estadual, cujas sanções variam de advertência à multa de até R$ 87.000,00. 

    A Comissão Especial é responsável pelo julgamento dos processos, cuja ampla defesa e o contraditório são assegurados para todas as pessoas que eventualmente praticaram atos discriminatórios. 

    Dados de denúncias 

    A Ouvidoria da Secretaria da Justiça recebeu, em 2020, 94 denúncias de discriminação homofóbica. Entre janeiro a outubro de 2021, foram computadas 196 denúncias. 

    Dos processos administrativos 

    De 2002 a 2021, foram instaurados 491 processos administrativos baseados na Lei Estadual nº 10.948/2001 (até 28.10.2021). Em 2020 foram instaurados 47 processos. Até 28 de outubro de 2021 já foram instaurados 22 processos. 

    “Na Secretaria da Justiça nós apuramos atos discriminatórios e punimos a discriminação com rigor, disse o Secretário da Justiça e Cidadania, Fernando José da Costa.  

    “O diálogo é uma fórmula alternativa de solução de conflitos. Já instauramos 46% de processos comparados com o ano anterior, que já foi 135% maior que 2019. Considerando que existem muitos processos para instaurarmos, isso demonstra que não toleramos a intolerância”, concluiu. 


    SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

    Leia mais

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    - Patrocinado -

    Últimas