Fila zerada em creches de São Paulo e a importância da educação infantil gratuita

0
708

Priorização da primeira infância é essencial para combater desigualdades e promover crescimento econômico


A Prefeitura de São Paulo (SP) manteve a fila das creches zeradas em 2023. A conquista mostra o sucesso da cidade em proporcionar educação para a primeira infância gratuitamente. Mais de 300 mil crianças estão matriculadas nos Centros de Educação Infantil (CEIs) da região e a aprovação recente da Lei 14.617, que instituiu agosto como o Mês da Primeira Infância, visa aumentar a conscientização sobre o papel do ensino de qualidade durante os primeiros anos de vida, que é importante não apenas para as crianças, como também para toda a sociedade.

Segundo o UNICEF, o cérebro das crianças durante a primeira infância é repleto de possibilidades e os anos iniciais de existência representam uma oportunidade insubstituível para o sucesso na escola primária e em etapas posteriores da vida. Quando exercida com qualidade, a educação infantil gera diversas aprendizagens positivas, enquanto a falta de acesso a ela acentua disparidades e restringe oportunidades. Ainda de acordo com a agência das Nações Unidas, há três razões fundamentais para tornar a educação na primeira infância uma prioridade mundial: o estabelecimento de bases de aprendizagem sólidas, a melhoria da eficácia dos sistemas educativos e a promoção do crescimento econômico.

As creches desempenham um papel significativo para a evolução da primeira infância. O serviço público atende a um direito fundamental e deve garantir o acesso à educação, conforme estabelecido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que prevê a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária.

Projeto Pedagógico proporciona autoconhecimento e aprendizagem sobre o mundo

Com o intuito de assegurar o desenvolvimento integral dessa faixa etária, a ASA, instituição sem fins lucrativos com mais de 80 anos, que também atende adolescentes e idosos em São Paulo (SP), realiza um trabalho educativo direcionado a crianças de zero a três anos e 11 meses em período integral. A organização opera seis Centros de Educação Infantil (CEIs) conveniados à Secretaria Municipal de Educação (SME), que garantem atendimento gratuito à população.

O trabalho é regulamentado pela SME e segue diretrizes específicas relacionadas ao desenvolvimento integral das crianças. O projeto pedagógico é norteado pelo Currículo da Cidade, pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC) Educação Infantil, pelos Padrões básicos de qualidade na educação infantil e pelas Orientações normativas de registros na educação infantil. Seu objetivo é assegurar o bem-estar das crianças, proporcionando espaço, tempo, materiais e atividades que possibilitem o descanso, a nutrição, o desenvolvimento de hábitos de higiene pessoal, a conquista da autonomia e o aprendizado sobre si e o mundo.

A ASA parte do princípio de que as crianças são sujeitos autônomos e potentes, e considera suas dimensões intelectual, social, emocional, física e cultural. Elas participam de atividades que ampliam seus repertórios nessas áreas, respeitam e potencializam suas singularidades e ampliam sua percepção de si e do mundo.

“A importância de ver a criança pequena de uma forma integral já tem sido discutida há algum tempo. Na primeira infância, o cérebro está a todo vapor, é quando ele mais se desenvolve. Se houver educação de qualidade, bons vínculos afetivos, boa alimentação, cuidados de higiene, existirá um alicerce firme nos primeiros anos que vai contribuir para que as crianças se desenvolvam cada vez mais. A educação infantil de qualidade favorece tudo isso.”, enfatiza Maria Eugênia Franco, coordenadora geral dos CEIS da ASA.

Experiências lúdicas melhoram aspectos cognitivos

Nos CEIs ASA, as crianças participam de jogos, brincadeiras e outras experiências ricas em estímulos que privilegiam o conhecimento e o cuidado de si, do outro e do meio ambiente. Ainda de acordo com Maria Eugênia, uma das atividades realizadas é a Caixa da Natureza, idealizada pela instituição Ser Criança é Natural. Os alunos coletam itens – denominados “tesouros” – como folhas, galhos e outros tipos de materiais do ambiente que frequentam. Tudo é colocado dentro de uma caixa e enviado para escolas de outros municípios, que fazem o mesmo procedimento.

Este é um exemplo que demonstra a preocupação da ASA em buscar diferentes atividades e parcerias que contribuam com o cronograma de atividades escolar definido pela SME. Dessa maneira, a caixa proporciona várias descobertas, encantos e trocas permeadas pela ludicidade e pelo afeto.

“Sempre observamos os interesses das crianças para planejar o trabalho. Com isso, exploramos vários aspectos cognitivos, desde a linguagem a expressões artísticas. Valorizamos muito o meio ambiente e temos isso na nossa concepção de desenvolvimento infantil. Quando conversamos com as crianças sobre o assunto, investimos na projeção de uma sociedade melhor”, observa a coordenadora geral dos CEIs.

Recentemente, a ASA assinou um novo convênio com a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo (SMESP) para assumir a gestão do CEI São Luis Gonzaga. A nova creche tem capacidade para atender mais de 220 bebês e crianças de zero a quatro anos e contribuirá para ampliar o trabalho da organização, que atendeu 744 bebês e crianças em 2022.

As unidades administradas pela ASA estão localizadas nos bairros Lauzane Paulista (zona norte), Bela Vista (centro), Caxingui, Morumbi e Jardim Ester (zona oeste). E são mais de 1.000 vagas disponíveis ao ano.

Impactos da desnutrição no processo de aprendizagem

Além da educação, a alimentação saudável, segura e acessível é um direito fundamental. A desnutrição e a obesidade são exemplos de problemas enfrentados pelas crianças brasileiras durante a primeira infância, segundo a Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal. Ainda de acordo com a organização, em São Paulo (SP), o índice de crianças que nascem com menos de 2,5 quilos é de 9,5%. Nos anos seguintes, 5,6% das crianças de até cinco anos estão abaixo do peso esperado, enquanto 4,9% estão sob risco de obesidade.

Uma nutrição adequada interfere diretamente na saúde das crianças no presente e no futuro e contribui para a prevenção de distúrbios nutricionais de grande impacto na saúde pública. Diversos estudos mostram que o consumo de alimentos saudáveis como frutas, verduras, legumes, proteínas, carboidratos, grãos e fibras proporciona energia, favorece o crescimento, aumenta os níveis de concentração e o desenvolvimento intelectual. Por outro lado, a ingestão de alimentos ultraprocessados e pobres em nutrientes prejudica a atenção, uma das principais habilidades para a aprendizagem, e aumenta os níveis de ansiedade

Na ASA, bebês e crianças realizam refeições balanceadas diárias elaboradas por nutricionistas. “Não podemos esquecer também que as crianças que frequentam a creche são bem alimentadas. Não estar na creche pode significar também, no mínimo, manter crianças desnutridas, o que acaba impactando no desenvolvimento delas”, acrescenta Maria Eugênia.

Como apoiar

Se você deseja apoiar o trabalho da ASA, é possível realizar doações financeiras e de materiais, como roupas, sapatos, brinquedos, móveis, eletrodomésticos e outros produtos. Os itens são destinados ao ASA Brechó e 100% do valor é revertido à manutenção das atividades da instituição. Outra possibilidade é participar do Programa de Voluntariado – ASA Move Pessoas. Mais informações, acesse https://asatransforma.org.br.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.