Espaço Coletivo Meninas Mahin traz afrodescendência da Zona Leste para BoaVista Shopping

0
564
Luciana Oliveira apresentou Coletivo e suas histórias de inspirações

Coletivo de empreendedoras expõe produtos, intervenções artísticas e muita cultura com estilo


Para quem trafega pelo andar da praça de alimentação do BoaVista Shopping já pôde perceber o Espaço Coletivo Meninas Mahin. O Grupo Sul News, que possui a redação dentro do shopping, subiu os andares para conferir um pouco das curiosidades do empreendedorismo afro, promovido pela co-fundadora e administradora, Ednusa Ribeiro.

“O Shopping fez esse convite pra gente, então estamos aqui com várias empreendedoras. Sempre deixamos claro que o espaço não é só uma loja, mas é um espaço de formação e de exposições, de intervenções culturais, porque tudo isso faz parte do coletivo”, explicou Luciana Oliveira.

O Coletivo Mahin começou sua história com mulheres afroempreendoras, principalmente da região da Zona Leste, promovendo desenvolvimento social, cultural e econômico. “O Sesc conheceu o trabalho do coletivo e nós tivemos o lançamento do nosso livro”, explica Luciana e completa: “O livro conta a história que vem sendo construída desde 2016, as histórias de cada uma dessas empreendedoras, de como e quando elas começaram e os desdobramentos desse exercício de estar numa praça comercializando o seu trabalho”.

Mas a transformação foi acontecendo na vida destas inspiradoras que foram expor seus produtos, sejam panos de prato ou roupas, e vendiam em seu entorno. “[Elas] tinham dificuldade de chegar até um metrô, de andar numa escada rolante e agora estão fazendo mentorias com empresas grandes, se profissionalizando e tendo um olhar e uma outra postura pro produto e trabalho que elas fazem. Hoje são empresárias”, finaliza Luciana Oliveira.

Você pode conferir produtos que remetem à cultura afrodescendente em suas diversas demonstrações, como os símbolos de ritos sociais no uso de turbantes, tendo uma função social de comunicação não-verbal, podendo dizer se a mulher estava solteira, casada, divorciada e/ou viúva pela forma de amarrar. Além disso, é possível ficar na moda em um estilo único criado por mulheres inspiradoras.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.