Comércio tradicional de Santo Amaro completa 58 anos

0
150

Com clientes fieis e uma equipe dedicada, o Autopeças Vila Iza é um negócio familiar e genuinamente santamarense

Por: Luciana Paim


Coragem, amor e perseverança. Essa é a receita para que a loja de Autopeças Vila Iza, localizada na Rua Amoipira, 48, próximo do Cemitério Campo Grande – na região de Santo Amaro, ter completado 58 anos, no último dia 15 de agosto.

Com clientes fiéis e uma equipe dedicada, o estabelecimento é um negócio familiar e genuinamente santamarense.

Sr. Kazuji Isawa, ou Sr. Luiz, é um dos fundadores da Autopeças Vila Iza

Em 1961, Kazuji Isawa, conhecido como Sr. Luiz, juntamente com Minoru Simonae, decidiram abrir a loja na região, algo que não existia naquele tempo em que até as ruas não tinham asfalto. “Eu trabalhava em uma autopeças em Pinheiros e percebemos que muitos moradores de Santo Amaro levavam seus carros lá. Foi quando decidimos montar a loja, e deu certo. Tem coisa que a gente conserta não para ter lucro, mas para divulgar a experiência”, conta o Sr. Luiz.

A sociedade virou amizade e só terminou com o falecimento do Sr. Minoru, há cerca de três anos. Atualmente, Mauricio Simonae e Luis Shoiti Isawa estão à frente do negócio mantendo viva a arte do conserto de carros.

A loja realiza mensalmente mais de 500 atendimentos, sendo que a maioria dos clientes são carros de 2012 para trás e caminhões. “Os principais problemas são a partida e o carregamento de bateria, que zera o carro”, explica Maurício.

O atendimento ainda acontece na base da confiança e o tal do ‘calote’ não é algo que prejudique os negócios. “Muitos clientes são desde a época que nossos pais abriram a oficina e por estar no mesmo endereço, os filhos deles, amigos de infância, amigos da região, também viraram clientes e amigos. As relações são bem mais sólidas”, conta Luis.

O pai do Luis não queria que ele se envolvesse com carros e o incentivou a procurar outra profissão. “Meu pai falou: vai estudar. Eu fui fazer eletrotécnica, partindo para engenharia elétrica, trabalhei em empresas privadas, estatais. Praticamente eu era piloto de escrivaninha e esse tipo de serviço não estava me agradando. Como estávamos passando por mudanças, alguns funcionários estavam saindo, eu pedi uma vaga e lá se vão quase 30 anos”.

Os sócios Maurício Simonae e Luis Shoiti Isawa, que herdaram dos pais a vocação e o amor aos carros

Os sócios concordam que a expectativa para o futuro é incerta e um dos fatores é a garantia extensiva das concessionárias, além da instabilidade econômica.

Mas, mesmo assim, existe um consenso entre eles. Apesar das dificuldades, ainda esperam conseguir se modernizar. “Equipamentos de última geração são muito caros e o custo benefício está difícil”, disse Mauricio.

“Até gostaríamos de ter esses equipamentos, mas tudo depende de um investimento e a gente não consegue capitalizar. Mas faz parte dos planos”, complementa Luis.

Mas o amor pelo conserto dos carros e a satisfação do cliente sempre falaram mais alto na vida desses dois sócios.

“Eu adoro carro, então tudo que você faça com amor é bem vindo, e você vai lutando mesmo com a crise, é uma arte. Carro para mim é tudo, é meu oxigênio, é meu tudo”, disse Maurício.

“Por vocação, por sempre ter convivido com esse ambiente da oficina, eu sempre gostei de carro, para mim era muito mais produtivo e gratificante ver o resultado no carro, o cliente vem resolve e fica satisfeito”, afirmou Luis.


FALE COM A REDAÇÃO
Sugestões de pauta, envie email para: reportagem@gruposulnews.com.br

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.