Com 16 anos na política, vereador Quito Formiga se torna referência contra intolerância religiosa e na luta por melhorias na Zona Sul

0
7

Conhecido como “vereador da Umbanda”, Quito Formiga é autor do projeto que cria o Conselho Municipal de Defesa e Promoção da Liberdade Religiosa. Como morador da Zona Sul, criou o projeto que torna o Largo 13 de Maio um Polo Cultural, Histórico e Turístico da Cidade de São Paulo


Marcus Vinicius de Almeida Ferreira, mais conhecido como Quito Formiga, é um dos 55 vereadores da cidade de São Paulo. Porém, é o único defensor das religiões de matriz africana e denominado o “vereador da Umbanda”.

“Eu luto pela religião porque tenho convicção de que a Umbanda não tem nenhum representante, então, eu tenho me esforçado muito para desenvolver um trabalho em prol das religiões de matriz africana. Temos lutado contra a intolerância religiosa mas a luta não é para que nós sejamos tolerados, mas para que nós possamos ter o devido respeito”, diz.

Pensando nisso, elaborou e teve aprovado pelos parlamentares o projeto de criação do Conselho Municipal de Defesa e Promoção da Liberdade Religiosa (COMPLIR/SÃO PAULO) para promover a liberdade de crença e acompanhar denúncias de grupos religiosos que sofrerem algum tipo de preconceito.

Nos 16 anos de atuação política, criou diversos projetos que enaltecem a religião mas estabelece dois mais importantes. “Tem dois projetos que dão o reconhecimento do poder público à religião: o Dia da Umbanda e do Umbandista na cidade de São Paulo (15 de novembro), comemorado há 10 anos com eventos simultâneos durante uma semana onde nós criamos a Semana da Umbanda; e agora, aprovado recentemente pelo prefeito Bruno Covas, a Marcha dos Orixás. Assim como existe a Marcha para Jesus, no dia 14 de novembro será a 1º Marcha dos Orixás da cidade de São Paulo. Esperamos que a Umbanda, ao longo dos próximos anos, possa também, como fazem as outras religiões, a Marcha dos Orixás seja um tremendo sucesso”, afirma.

Morador da Zona Sul de São Paulo, Quito Formiga é um dos apoiadores e representantes da cidade que trabalha em prol da melhoria de vida dos moradores da região Sul tendo sido o criador do projeto de lei que torna o Largo 13 de Maio um Polo Cultural, Histórico e Turístico da Cidade de São Paulo. “Ao longo dos 16 anos, nós utilizamos grande parte das nossas emendas parlamentares para melhorias de bairros, reformas de creches, enfim, a área social, cultural. Eu até hoje tenho feito muitos eventos culturais na cidade com essas emendas parlamentares. Eu tenho trabalhado na região da Capela do Socorro, Grajaú, Parelheiros e bairros adjacentes por todo e qualquer problema de zeladoria que a cidade apresenta em demasia. No caso, asfalto, esgoto, reformas de escolas municipais, tapa-buraco”, explica o vereador.

Motociclista, também luta pelos direitos da categoria e acredita que os recentes protestos dos entregadores de comida por aplicativo são justos porque “as empresas de aplicativo estão usando os motociclistas, entregadores e motofretistas como verdadeiros escravos colocando em risco a vida dessas pessoas”. E ressalta que o Projeto de Lei 578, do qual é um dos autores, “atende ao motofretista autônomo, ao motofretista CLT e ao motofretista de aplicativo usando total segurança contra toda e qualquer periculosidade no trabalho, inclusive obrigando essas empresas a dar seguro de vida e assistência a essas famílias”.

Para o futuro, pretende continuar lutando por essas causas que resumem sua vida pública. “Eu procuro unir o útil ao agradável. Hoje eu sou motociclista e entendo a vida em cima de uma moto. Eu nasci na religião e também sei das dificuldades. Eu vou atender os meus segmentos da forma como eu acho que posso me dedicar ao máximo. Se houver outras oportunidades que possamos abranger, vamos atender. Mas quero dar continuidade ao meu trabalho”, finaliza.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.