25.3 C
São Paulo
quinta-feira, 7 julho, 2022
Mais

    Coletivo cultural pinta a frase “BUSQUE RACISMO ESTRUTURAL” na Av. Faria Lima

    Mais lidas

    A Av. Faria Lima foi a escolhida para esta frase por ser um dos principais centros financeiros da cidade de São Paulo e para incentivar as pessoas a pesquisarem sobre o tema. Essa já é a 4ª frase que o coletivo pinta em importantes vias da capital para dar espaço a comportamentos antirracistas


    No dia em que a Declaração Universal dos Direitos Humanos completa 72 anos, reconhecendo “direitos iguais e inalienáveis” a todos os seres humanos, uma das principais avenidas da capital paulista recebeu a pintura da frase “BUSQUE RACISMO ESTRUTURAL”.

    Racismo Estrutural pode ser definido como o conjunto de práticas históricas, culturais, institucionais e interpessoais que existem dentro de uma sociedade e que coloca um grupo étnico em posição superior ao outro. Historicamente, no Brasil, EUA e em muitos países europeus este grupo superior favorece as pessoas da raça branca em detrimento da população negra.

    A frase foi pintada por um coletivo de 60 artistas na Av. Faria Lima, no Itaim Bibi, com o intuito de incentivar as pessoas a pesquisarem sobre o tema. A Av. Faria Lima foi a escolhida para esta frase por ser um dos principais centros financeiros da cidade de São Paulo.

    “Pra que essas instituições públicas e privadas também exerçam as suas funções, tenham a sua responsabilidade em construir políticas que desestruturem esse racismo estrutural”, explica a ativista e produtora cultural, Fernanda Bueno.

    Essa já é a 4ª frase que o coletivo pinta em vias da capital para dar espaço a comportamentos antirracistas:

    • Av. Paulista: “VIDAS PRETAS IMPORTAM”;
    • Av. 9 de Julho: “O FUTURO É UMA MULHER PRETA”;
    • Minhocão: “SILÊNCIO É APAGAMENTO”.

    “O fato é que, no Brasil, o racismo estrutural mata a cada 23 minutos e homens, mulheres, a comunidade LGBTQI+, enfim, estamos todos morrendo enquanto sociedade. Estamos todos sofrendo, seja por um motivo ou outro. Acho que é um grito social”, disse o produtor cultural Kleber Pagu.

    Só no ano passado, o Brasil registrou 12 mil casos de racismo e injúria racial e o Estado de São Paulo lidera esse ranking com o maior número de ocorrências: 2.206 casos de injúria racial e 164 casos de racismo.


    SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

    Leia mais

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    - Patrocinado -

    Últimas