Centro Cultural Santo Amaro recebe Selo de Acessibilidade Arquitetônica

0
268

O selo foi entregue pela Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência para facilitar o acesso, na internet, por programações culturais acessíveis

Por: Alexandre Maretti


A Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SMPD) realizou na última quarta-feira (21), a Cerimônia de entrega de Selo de Acessibilidade Arquitetônica ao Centro Cultural Santo Amaro, para facilitar o acesso, na internet, por programações culturais acessíveis.

Segundo o decreto nº 37.648, de 25 de setembro de 1998, “fica instituído o Selo de Acessibilidade para as edificações, espaços, transportes coletivos, mobiliários e equipamentos urbanos que garantam a acessibilidade de pessoas portadoras de deficiência”.

Estiveram presentes no evento, o Supervisor de Centros Culturais, Elieser Glazzi; a coordenadora do Centro Cultural Santo Amaro, Andrea Sousa; o ex-deputado federal, Antônio Goulart; e Cid Torquato, secretário municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida.

“Hoje em dia é muito importante a frente digital, mais ainda para pessoas com deficiência, que tem o direito de frequentar o Centro Cultural Santo Amaro quando quiser e na sua plenitude. Mas, ela também pode, por suas limitações, optar por fazer isso digitalmente. Os sites e aplicativos tem que estar digitalmente acessíveis. Tenho certeza que Prestes Maia, um grande prefeito e grande urbanista, nos dias de hoje seria um grande apoiador da acessibilidade”, disse o secretário.

O projeto de implementação do uso da acessibilidade visa fazer com que todos os guias culturais comecem a usar símbolos e legendas. Dessa forma, uma pessoa com deficiência visual já entra em um guia cultural com todos os espetáculos com áudio-descrição disponíveis. “A gente tem que intensificar esse tipo de troca: conhecimento e informação sobre acessibilidade em Centros Culturais pra gente ampliar essa nossa riqueza que é a diversidade”, enfatizou Cid Torquato.

Andréia Sousa, coordenadora do Centro Cultural Santo Amaro, diz ser muito significativo o reconhecimento desse esforço. “Conseguir agregar qualquer tipo de público significa também um incentivo pra que a gente continue pensando em ações para gravações inclusivas. É um passo pra que todos os equipamentos culturais e educacionais tenham o selo de acessibilidade, que pra mim significa respeito ao outro e ampliação de público”, disse.

Para o ex-deputado federal Antônio Goulart, o espaço disponível ao público, precisa de mais divulgação.  “Tem pessoas que não têm conhecimento do que se oferece, qual a programação que tem o Centro Cultural. A cidade tem carência desse tipo de espaço cultural e aquilo que é público, é muito importante, que seja divulgado”.


FALE COM A REDAÇÃO
Sugestões de pauta, envie email para: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.