Centro Cultural da Diversidade tem obras vandalizadas

0
1285

Obras fazem parte da exposição inédita ‘Minh’alma Cativa’, de artistas LGBT+


Seis obras de arte da exposição Minh’alma Cativa, formada por 12 artistas LGBT+, foram vandalizadas na terça-feira (22) no Centro Cultural da Diversidade, localizado no Itaim Bibi. Os danos foram feitos com cortes, perfurações e riscos, a autoria do ataque ainda é desconhecida.

Segundo nota da Secretaria Municipal da Cultura, “foram vandalizadas seis peças da exposição inédita ‘Minh’alma Cativa’, com curadoria de Ana Carla Soler, e trabalhos de 12 artistas LGBTQIA+, além de cortinas, paredes e painéis sonoros”.

Ana Carla Soler, curadora da exposição, explicou pelas redes sociais que a mostra é composta por uma coleção pública de obras de arte do Centro Cultural da Diversidade e, “inspirada na música ‘Sangue Latino’, da banda Secos & Molhados, a mostra reúne 13 artistas que, agora, são cativos do acervo do Centro Cultural. Cativar significa trazer para perto, atrair. Nesse encontro de trabalhos, as obras falam sobre o afeto e as conexões geradas e mantidas entre pessoas, almas. Abordam o carinho, o toque e os desejos, muitas vezes, escondidos ou invisibilizados na sociedade contemporânea, marcada pela homofobia e transfobia”.

Antonio Kuschnir, 21 anos, que doou a obra Grandes Detalhes, uma das mais danificadas, disse estar indignado com o ataque. “Obras de artistas LGBT sendo destruídas não parece ser coincidência. É um ato de violência. O sentimento de indignação é grande, mas também nos dá vontade de continuar afirmando a nossa verdade e expondo o trabalho”.

O artista Hanz Ronald desabafa que “durante esses 4 anos, eu incansavelmente vejo exposições de artistas LGBTQIAP+ serem cada vez mais boicotadas por diversos motivos e me frustra pensar que cada vez mais não temos espaços (físicos ou imaginários). Parece que com o passar do tempo, o que era para ser melhor, piora”,

Os danos não impediram que a programação da exposição continuasse, e mantiveram o dia e hora previstos, sendo inaugurada normalmente às 16h do sábado (26), mantendo as obras danificadas como um símbolo de resistência.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.