Bairros nobres da Zona Sul têm alto índice de partos cesárea, informa pesquisa

0
341

O elevado índice de partos cesária em Moema, Santo Amaro e Itaim Bibi ultrapassa a recomendação da Organização Mundial de Saúde para que apenas de 10% a 15% das mulheres façam partos cesárea, e apenas em caso de necessidade


Apesar da Organização Mundial de Saúde (OMS) recomendar que apenas de 10% a 15% das mulheres façam partos cesárea, e caso haja necessidade, alguns bairros da Zona Sul de São Paulo têm índices elevados deste tipo de parto.

Segundo o Mapa da Desigualdade da Primeira Infância 2020, lançado pela Rede Nossa São Paulo, bairros nobres da Zona Sul têm o percentual mais alto de partos cesáreos: 69,7% em Santo Amaro e Moema e 68,8% no Itaim Bibi.

Por outro lado, bairros da periferia têm os menores índices, ainda que ultrapassem a recomendação da OMS: 37% em Parelheiros, 38,5% no Jardim Ângela, 39,5% em Marsilac e 40,8% no Grajaú.

“O parto cesariano é um avanço importante da medicina, que pode salvar a vida de gestantes e bebês. Porém, no Brasil, é realizado de maneira indiscriminada, sem considerar os riscos e prejuízos que um parto cesariano sem indicação médica pode causar para parturientes e crianças. O Brasil é o segundo no ranking mundial de partos cirúrgicos, com 55% – na rede privada, esse índice chega a 84%”, informa a Rede Nossa São Paulo.

Um estudo publicado em 2018 na revista científica Lancet, do Reino Unido, revela detalhes sobre a faixa de renda e educação das mulheres que realizam cesáreas: no Brasil, a maioria delas (54,4%) tem elevado nível educacional, enquanto 19,4% tem menos renda e escolaridade mais baixa.

Em agosto do ano passado, o Governo de SP sancionou um projeto de lei que permite, a partir da 39ª semana de gravidez, que as mulheres gestantes escolham pelo parto cesárea, nos hospitais públicos do Sistema Único de Saúde (SUS), mesmo contra a indicação médica.

Apesar da aprovação, o próprio governador indica o parto normal. “O ideal é que, tanto quanto possível, o parto seja natural, comprovadamente melhor para mãe e bebê”, disse o governador João Doria.


FALE COM A REDAÇÃO
Sugestões de pauta, envie email para: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.