Aumenta em 64% o número de ciclistas que morrem no trânsito da capital

0
347

O aumento de ocorrências com ciclistas impacta também outro setor: a saúde. De acordo com um levantamento do SUS, em 2019 foram gastos quase R$ 700 mil com atendimento hospitalar aos ciclistas acidentados


A cidade de São Paulo registrou um aumento de 64% no número de ciclistas mortos em 2019, se comparado a 2018, ano em que foram registrados 22 casos fatais no trânsito, segundo o Infosiga SP, que tem dados sobre ocorrências de trânsito no Estado de São Paulo.

Dos 36 acidentes fatais ocorridos no ano passado com ciclistas, nove aconteceram aos sábados e 11 foram com pessoas de 40 a 49 anos. Havia envolvimento de automóvel em 10 casos, sendo que 55,56% dos casos aconteceram em vias urbanas.

“Não foi montada uma rede adequada de ciclovias na cidade, apenas quilômetros de faixas instaladas pelas ruas e avenidas da capital. Se não tiver uma rede, vai continuar acumulando quilômetros de mortes”, afirma Ivan Metran Whately, diretor do Departamento de Mobilidade e Logística, do Instituto de Tecnologia.

Esse aumento de ocorrências com ciclistas impacta também outro setor: a saúde. De acordo com um levantamento feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em 2019 foram gastos quase R$ 700 mil, na cidade de São Paulo, com atendimento hospitalar aos ciclistas acidentados. Em 2018, os gatos foram de, aproximadamente, R$ 566 mil.

E se em 2019 houve aumento das vítimas, no mesmo ano o orçamento do SUS para garantir tratamento e internações às vítimas de trânsito caiu 10% em relação a 2018, recebendo R$ 13 milhões no ano passado.

Em 2019, a Prefeitura apresentou um plano de recuperação das ciclovias da cidade, com previsão de implantar 173,5 km de novas ciclofaixas e ciclovias, com um orçamento de R$ 325 milhões.

OCORRÊNCIAS DE TRÂNSITO

No geral, o Estado de São Paulo e a capital paulista apresentaram, no ano passado, queda no número de ocorrências fatais no trânsito desde 2015. Segundo o Infosiga SP, “foram registradas 5.433 fatalidades em ruas e rodovias do Estado. O número representa queda de 0,6% na comparação com 2018”. Na capital foram 874 casos de mortes no trânsito.

No Estado, houve queda de 19,7% no número de atropelamentos: 1397 casos em 2019 e 1463 em 2018, sendo também o menor índice desde 2015, que registrou 1740 óbitos de pedestres.

A liderança das estatísticas é dos motociclistas: são 35,2% das vítimas fatais do Estado.


FALE COM A REDAÇÃO
Sugestões de pauta, envie email para: [email protected]ruposulnews.com.br

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.