ARTIGO | Natureza Perversa

0
2593

No primeiro ritual Xamânico de 2022, as forças vieram me falar sobre a “Natureza Perversa”, mostrando várias cenas sobre, como se fosse eu vivendo isso. Mas entendi apenas como um exemplo.

No segundo trabalho xamânico do ano, as forças tornaram a me mostrar imagens que se tratavam do mesmo assunto. Continuei achando que a minha imagem dentro das mirações eram apenas uma metáfora. Já no terceiro trabalho com a mesma egrégora xamânica do ano, as forças conversaram comigo de uma forma mais elucidada. “O tempo inteiro estava falando de você”

Consegui entender que a minha imagem dentro das mirações não era uma metáfora, mas sim a minha própria vida refletida naquelas informações. Ela me mostrou aquilo que evitei ver, e de alguma forma, me distanciei para não sentir dor. A frieza, a hostilidade, a apatia, a insensibilidade e a infidelidade que estavam agindo comigo era a verdadeira Natureza Perversa. As forças me mostraram que o cerne da Natureza Perversa é o prazer em ver o outro sofrer. Que advém das pessoas ácidas e amargas.

Quando entendi, percebi o quanto estava fragilizada. Desmoronei. Tive crises de pânico. Entrei em choque! Era inacreditável saber que alguém que consagra a medicina do amor, agir dessa forma.

A “Natureza Perversa” encara isso com normalidade, pois este é o seu triunfo.

Fui destruída! Mas lembrei que o xamanismo me ensinou a acolher as dores e decepções e com a doçura e leveza do tempo, me reconstituir, juntar minhas partes emocionais que se fizeram em cacos, e ir remodelando a minha força, a minha verdade e a minha beleza. Me reconstitui e acessei o meu maior poder, a minha virtude de existir no fluxo dessa jornada da vida de forma íntegra e honesta comigo e com quem estar ao meu redor. Me refiz mulher, dona de minha vida e atitudes, dona do meu eu mais puro e elevado.

O ensinamento: Estar cada vez mais atenta ao que me rodeia, a quem estar à minha volta. Enxergar e ouvir tudo que me permeia de uma forma mais refinada, para que não vivamos o fel da “Natureza perversa”, e que possamos sempre estar fortes para expulsar tudo aquilo que nos atravessa com infidelidade.

Que a virtude do respeito, da empatia, da fidelidade e do verdadeiro amor se faça presente! E assim Falei!

Maria Juremeira, Terapeuta, Dirigente Espiritual e Madrinha do Centro Ayahuasqueiro Jiboia Sagrada Telefone para contato: (11) 96662-9244


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.