5 doenças comuns em cães idosos

0
62

Os pets têm vivido cada vez mais e essa maior longevidade, embora apreciada por todos nós, traz consigo algumas fragilidades na sua saúde e que impactam de maneira negativa o seu bem-estar, especialmente quando pensamos nos cães.

O processo de envelhecimento é algo natural que traz consigo importantes mudanças no funcionamento do organismo do pet e consequentes mudanças comportamentais, tanto para o cão quanto para seu tutor.

“Com os cães convivendo com a gente por mais tempo, começamos a perceber melhor doenças que não eram tão faladas antigamente e que estão muito associadas à questão da idade”, explica Nathalia Fleming, médica- veterinária e gerente de produtos pet da Ceva Saúde Animal. “Saber que essas doenças existem e interferem na vida do pet ajuda, inclusive, nas políticas de prevenção, deixando os tutores mais atentos aos problemas e preparados para buscar auxílio veterinário com maior frequência”.

Envelhecer com qualidade de vida e bem-estar é importante para os animais, e para que isso aconteça é preciso entender a importância de um acompanhamento mais frequente com o médico veterinário. Veja abaixo algumas das principais doenças que acometem os cães idosos:

1- Doenças Cardíacas

O tipo de problema e sua intensidade pode variar de acordo com o porte do animal, e quase sempre estão diretamente relacionadas à idade. No cão, o primeiro sintoma é a tosse seca, seguida pelo cansaço na realização de atividades simples. A ausculta cardíaca faz parte da consulta com o médico veterinário, mas é recomendado que a partir dos 5 anos a avaliação cardíaca faça parte dos exames anuais do pet.

Um animal com doença cardíaca pode ter vida normal desde que diagnosticado precocemente e medicado de maneira correta, com acompanhamento contínuo e mais frequente do médico veterinário.

2- Problemas Odontológicos

Assim como os humanos, quanto melhor cuidados os dentes menos problemas eles terão, e os problemas dentários mais comuns nos pets idosos são o acúmulo de tártaro, placa bacteriana, doença periodontal e tumores na região da boca. Além disso, alguns dentes podem se quebrar ou sofrer com cáries. Em determinados casos, os dentes precisam ser extraídos.

A escovação dos dentes dos pets é um procedimento que deve ser feito, sempre que possível, desde filhote. É comum, com o avanço da idade, que os dentes fiquem mais frágeis e acabem caindo. Para prevenir grandes problemas a avaliação da cavidade bucal e limpeza de tártaro mais aprofundada pode ser recomendada periodicamente.

3- Catarata

A Catarata é a opacificação da lente do olho, que pode ocorrer de forma total ou parcial, e é irreversível. Ela pode estar relacionada com o processo natural de envelhecimento do pet ou estar relacionada à diabetes mal controlada, desnutrição, traumatismos e inflamações. O diagnóstico é feito pelo médico veterinário através do exame dos olhos e, quando detectada, é importante pesquisar sua origem para tratar.

Tipicamente, o quadro evolui para a cegueira do animal. Embora já exista cirurgia para reversão da catarata nos pets, ela pode não ser recomendada para alguns pacientes.

É possível que o pet conviva com a condição sem maiores problemas, com algumas adaptações. Os passeios devem ser sempre no mesmo trajeto, para que o cão se sinta seguro reconhecendo os cheiros, sons e as distâncias percorridas. Se possível, evitar a mudança de mobília em casa, mantendo as coisas sempre no mesmo local para evitar que o pet se sinta perdido ou acabe batendo ou esbarrando em algum móvel. A caminha, água e pote de comida devem permanecer sempre no mesmo local, para que o pet possa ter acesso à eles sempre que precisar.

4- Problemas ortopédicos

Com o passar da idade as articulações e cartilagens vão se degradando, o que promove dores articulares. A doença ortopédica mais comum nos cães idosos é a artrose, e os principais sintomas observados são uma locomoção mais lenta, dificuldades para acessar locais mais altos, resistência à passeios mais longos, manqueiras e, em alguns momentos de dor, os pets podem se mostrar um pouco resistentes ao toque na área das articulações.

A prevenção dos problemas ortopédicos se inicia com uma dieta equilibrada, já que o sobrepeso e a obesidade influenciam muito no desgaste precoce das articulações. Além disso, a realização regular de exercícios ajuda a manter a saúde muscular e aliviar o esforço das articulações. Uma boa opção para os pets que já sofrem com algum desconforto articular pode ser a utilização da hidroesteira, que alivia o contato com o solo e acelera a reabilitação articular.

Em alguns casos o médico veterinário pode receitar medicamentos específicos para reduzir os quadros de dor e suplementos alimentares que ajudam na reposição de colágeno e na proteção articular.

5- Câncer

Tumores (as famosas “bolinhas”) em cães podem ser os primeiros sinais de câncer, principalmente nos cães idosos. Aumentos de volume dos linfonodos e presença de caroços pelo pescoço, axilas e dorso do animal, e feridas que não cicatrizam são sinais de alerta!

Em outros casos, como linfomas e leucemias, os primeiros sinais podem ser observados em exames de sangue rotineiros.

Casos de câncer nos pets tem crescido cada vez mais nos últimos anos, principalmente nos cães idosos, e, assim como nos humanos, a descoberta precoce traz maiores chances de cura. O tratamento específico é determinado pelo médico veterinário e envolve o tipo de câncer, sua localização e estado geral do animal. Em alguns casos, é recomendada a cirurgia para retirada do tumor e quimioterapia, em outros apenas a cirurgia ou o tratamento quimioterápico é necessário.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.