27º Batalhão da Polícia Militar completa 21 anos com mega operação na Zona Sul

0
46

A mega operação, que teve a participação de todo o efetivo do 27º BPM e de outros Batalhões da Zona Sul, foi um “um presente para a comunidade” no combate ao crime. Durante a ação, um procurado pela Justiça foi capturado e duas pessoas foram presas, em flagrante, por roubo


No dia 24 de novembro, o 27º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de São Paulo, localizado no Parque América, região do Grajaú, completou 21 anos de existência. Para comemorar, foi realizada uma mega operação pela Zona Sul, que os policiais classificaram como “um presente para a comunidade” no combate ao crime.

Nessa mega operação de seis horas de duração, participaram: todo o efetivo do 27º BPM (inclusive sua Companhia de Força Tática e Rocam) e também várias equipes de Força Tática e Rocam de outros Batalhões da Zona Sul.

O 27º BPM abrange uma região extensa, aproximadamente 69 km², com dezenas de bairros nas áreas de Interlagos, Capela do Socorro e Cidade Dutra. Na mega operação de aniversário, os policiais abordaram 140 pessoas (sob fundada suspeita); vistoriaram 50 motocicletas e 25 carros; confeccionaram 59 autos de infração de trânsito; levaram 27 motocicletas ao pátio da PM devido irregularidades administrativas de trânsito; capturaram um procurado pela Justiça e prenderam, em flagrante, duas pessoas por roubo.

Com 474 policiais militares ativos (sendo apenas 64 policiais mulheres), o 27º BPM utiliza a inteligência operacional para combater a criminalidade na Zona Sul.

Tenente Coronel PM Ferraz faz discurso durante aniversário

“Toda semana a gente faz uma leitura da incidência criminal, através das nossas ferramentas inteligentes, e aquelas áreas que apontam maior incidência criminal, a gente desenvolve operações. Com o efetivo que a gente tem, fizemos uma distribuição equitativa nas companhias e está suficiente para atender a demanda. Tanto que a gente conseguiu diminuir todos os indicadores criminais. Se conseguirmos fazer um mapeamento estratégico de onde o crime está acontecendo, com ferramentas inteligentes, apoio da comunidade, do Conseg [Conselho de Segurança], a gente tem melhores resultados”, afirmou o Tenente Coronel PM Ferraz, que está à frente do 27º BPM há três meses.

Para o Tenente, aliás, o apoio da comunidade no registro de boletins de ocorrência e participação nas reuniões do Conselho de Segurança, são fundamentais para o trabalho policial. “A sociedade não existe sem Polícia e as informações demandam da sociedade, seja por um boletim de ocorrência ou com uma informação do Conseg. O crime acontece e muitas vezes a Polícia não fica sabendo, se não for registrado. A sociedade precisa estar próxima da gente para combater o crime”.


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.