Vizinhança do Aeroporto de Congonhas se manifesta contra ampliação de voos

0
105

Ampliação de 40% dos voos no aeroporto gera preocupação entre os moradores que alegam falta de planejamento


Várias associações e sociedades em torno do Aeroporto de Congonhas se uniram para encaminhar ao Tribunal de Contas da União uma manifestação contra a ampliação de 40% dos voos, concedido com os termos do processo de concessão da 7ª Rodada de Leilão de Aeroportos. Dentre elas estão a AMNA – Amigos do Novo Mundo Associados, Associação dos Moradores do entorno do Aeroporto de Congonhas, Associação Viva Moema, Sociedade Amigos de Bairro da Vila Nova Jardim Cecy, Associação de Moradores da Vila Mariana, Sojal Associação Moradores do Jardim Lusitânia, AME JARDINS e Viva Paraíso.

Segundo a descrição da ação no site da Amigos Novo Mundo Associados (ANMA): “No documento foram demonstradas as faltas e possíveis ilegalidades do Poder Público na realização do leilão e da ampliação do fluxo de aeronaves e passageiros no aeroporto de Congonhas, haja vista a falta de um estudo urbano amplo para entender todos os impactos ambientais que esta ampliação trará para região e consequente a elaboração de um plano para mitigá-lo. Além do descumprimento do Plano Municipal de Circulação Viária e de Transportes Municipal, a inexistência de liberação do prédio do aeroporto pelos bombeiros – AVCB, assim como a deficiência nos estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental, que avaliam se os benefícios diretos e indiretos decorrentes dos investimentos estatais na implantação de novas infraestruturas de transportes e saúde, justificam os custos com os projetos e execução destas obras necessárias para que a cidade de São Paulo consiga ampliar o seu fluxo aéreo”.

Assim, requereu-se ao Tribunal de Contas da União que observasse as irregularidades apontadas e encaminhasse aos órgão competentes para análise e fiscalização das demandas enviadas pela sociedade civil quanto a utilização dos recursos públicos e preservação da segurança e bem-estar dos passageiros, dos moradores do entorno e do meio ambiente urbano e natural, exigindo a realização de estudos faltantes: elaboração de planejamento e obras para a distribuição do trânsito adicional, elaboração de plano de mitigação de impacto, obtenção de licença ambiental válida e ACVB”.

A descrição completa pode ser vista aqui!


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.