Urbanismo Social em prática na Colômbia é uma lição sobre a urbanização e combate à violência

0
532
Prof. de Urbanismo Social, Jorge Melguizo, Ex-Secretário de Cultura de Medellín descreve o sistema de transporte baseado na integração entre metrô, ônibus, VLT, teleférico e escadas rolantes

Thamyris Nagell, Subprefeita de Santo Amaro, relata experiências em Medellín e Bogotá, na Colômbia, onde conheceu práticas e ações de transformação social


Compartilho com vocês o roteiro de viagem a Medellín e a Bogotá, na Colômbia, que recentemente proporcionou um grande aprendizado sobre urbanismo social e políticas públicas que melhoraram a vida das pessoas nas cidades.

A convite da vereadora da cidade de São Paulo, Janaína Lima (representante do legislativo municipal em desenvolvimento e planejamento da cidade) integrei a delegação brasileira que viajou à Colômbia para estudar urbanismo social.

Representar a nossa região sul e conectar-se com experiências e vivências de grandes cidades da América Latina, como Medellín e a capital Bogotá, proporcionou conhecimento elevado ao lado de mais participantes de grupo de diversos países interessados como “nós” em aprender com as experiências bem-sucedidas de cidades similares à nossa metrópole paulistana.

E, por que a Colômbia? Para isso, citamos a trajetória, as referências e as menções aos positivos resultados de bairros e regiões considerados antes como territórios mais violentos do mundo e que passam por um conjunto de inovação.

De um centro urbano inteiro manipulado pelo crime e o narcotráfico para uma cidade modelo de urbanismo. Essa é a realidade da cidade de Medellín, na Colômbia, que foi reconhecida como um exemplo de sucesso na aplicação do urbanismo social para combater a violência urbana e melhorar a qualidade de vida de seus cidadãos. O trabalho, que começou em 1990, vem sendo feito com intensidade até o início dos anos 2000.

Thamyris Nagell, Subprefeita de Santo Amaro, viajou a convite da Delegação à Colômbia, coordenada pela Vereadora Janaína Lima. Visitaram o equipamento público de lazer, esporte e cultura. No bairro Nuevo Occidente (Medellín)

O nosso olhar, durante a viagem à Colômbia (de 14 a 19 de julho de 2023) foi orientado a visitar bairros conceitos e vivenciando cada momento com intenções de escutar os autores e os transformadores cidadãos sociais que contaram sobre os seus projetos e resultados na urbanidade.

Onde registramos, durante a viagem, como boas experiências e vamos intencionar para os projetos no dia-a-dia da nossa cidade de São Paulo. A começar pelos nossos distritos de: Santo Amaro, Campo Belo e Campo Grande.

UVA Nuevo Occidente (Unidade de Vida Articulada)

Começaremos com a compreensão do que é a ressignificação de espaços em uma cidade. Importante ressaltar que só a prática que realmente muda o sentido de demonstrar o que aquele local tem para quem o ressignificou. Isso eu posso afirmar que realmente é presencial. A ressignificação estava passível de ser vista nos gestos, na satisfação e na expressão dos moradores, de crianças a adultos.

Que o espaço urbano ocupado pelo cidadão, e quando ele se reconhece neste local, reforça a ideia de apropriação e pertencimento àquele lugar.

Utilização de teleférico. O percurso até o centro de Ciudad Bolíviar, em Bogotá, que poderia demorar até uma hora e meia, hoje é feito em 13 minutos utilizando o TransMiCable

Nesse nosso roteiro de viagem vamos chegar à narração de urbanidade e direitos universais que são os impulsores da afirmação de cidadania para a dignidade da pessoa humana.

Nos dias que ficamos em Medellín, temos que citar a intervenção plural social na região de comunidade historicamente conhecida como Comuna 13, sendo a segunda maior cidade da Colômbia. Região que registrava altos índices de violência e falta de infraestrutura adequada. No entanto, por meios do urbanismo social, a região passou por uma transformação impressionante. Das ruas estreitas na Comuna 13, foram substituídas por escadas rolantes e elevadores, tornando o acesso mais fácil e seguro para os moradores; espaços públicos foram revitalizados, criando áreas de convivência, parques e bibliotecas.

Escadarias em Comuna 13. Região em Medellín que já foi conhecida como uma das áreas mais perigosas e violentas do país. A partir de urbanismo social é um exemplo notável de revitalização urbana

É disso que estamos falando “inspiração”! De como o urbanismo social pode mudar um bairro, uma região e envolver toda a cidade. Posso afirmar para vocês, são essas experiências e exercícios de urbanidade em grandes cidades que ficam mais atenuados quando realmente passamos a olhar no entorno.

Como representante da Subprefeitura de Santo Amaro, refletindo todas as intenções de desenvolvimento da cidade que o nosso Prefeito Ricardo Nunes nos orientou e, juntamente com a coordenadora da delegação, a vereadora Janaína Lima — todos estão incentivados! A produzir a política de urbanismo social, com governança e muita positividade para a implementação com o poder público e a iniciativa privada. Com o nosso olhar de zeladoria para a adaptação às nossas realidades locais, que já temos a nossa querida e potente zona sul.

Nossa viagem já está impulsionando mais ações.

Aguardem. Santo Amaro não para!


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.