Prefeitura retira R$ 12 milhões de corredores de ônibus para reformar Autódromo de Interlagos

1
405

Mais de 70 km de corredores estavam previstos no Plano de Metas. Desde o início da gestão Doria/Covas, apenas 3,3 km de corredores foram feitos na cidade

 

 

O Autódromo de Interlagos, um dos equipamentos da Prefeitura que está no pacote de concessão à iniciativa privada, ganhou mais de R$ 12 milhões para obras de reforma. Esse dinheiro, inicialmente, seria usado para a construção de corredores de ônibus na capital, mas foi remanejado para melhorias no Autódromo.
No dia 25 de janeiro, em entrevista na TV, o prefeito Bruno Covas já havia sinalizado que não seria possível concluir os 72 km de corredores de ônibus, previsto no Plano de Metas da cidade. “Algumas metas a gente não vai conseguir atingir, e a gente já precisa avisar a população. Por exemplo, a quantidade de construção de corredores. Não vamos conseguir construir o que está previsto e estamos transformando a meta para poder melhorar e requalificar os que já existem”, explicou.
A cidade de São Paulo tem 12 corredores de ônibus, com 128,7 km de extensão no total. Na Zona Sul, as únicas subprefeituras que receberiam novos corredores seriam M’Boi Mirim e Campo Limpo.
Essa não foi a primeira vez que o dinheiro da construção de novos corredores foi remanejado para outro setor. Nos seus 15 meses de mandato, o ex-prefeito João Doria, atual governador do Estado, retirou R$ 716 milhões dessa área para priorizar outras demandas, como saúde. Somando a gestão Doria/Covas, o remanejamento para outras áreas chegou a R$ 874 milhões. Desde 2017, quando o Plano de Metas foi apresentado, foram feitos apenas 3,3 km de corredores, um gasto de R$ 40 milhões.
A Prefeitura informou que, “os recursos foram remanejados de dotação orçamentária e retornarão para corredores de ônibus tão logo tais recursos entrem nos cofres públicos por meio dos convênios com o Governo Federal para esta finalidade, de acordo com a Secretaria Municipal da Fazenda”.
Sobre o Autódromo, afirmaram que o munícipio “não pode deixar o autódromo sem a devida manutenção porque ele recebe anualmente, entre outros eventos, o Grande Prêmio de Fórmula 1, que significa recursos entrando no caixa da prefeitura —com turistas, o recolhimento do ISS; além da geração de emprego”.
O gasto anual do munícipio com o Autódromo chega a R$ 55 milhões, sendo que, R$ 50 milhões são para as estruturas das corridas e R$ 5 milhões com funcionários e a manutenção.
- Patrocinado -

1 COMENTÁRIO

  1. Por que será que não estou surpreso?! E o pior é que mais uma vez a região do M’ Boi Mirim, onde na minha opinião está situado o pior corredor de ônibus da cidade continuará sem apoio da prefeitura!!!
    Lamentável!

Deixe uma resposta para Rafael Salmeron Cancelar comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.