Prefeitura retira R$ 12 milhões de corredores de ônibus para reformar Autódromo de Interlagos

1
372

Mais de 70 km de corredores estavam previstos no Plano de Metas. Desde o início da gestão Doria/Covas, apenas 3,3 km de corredores foram feitos na cidade

 

 

O Autódromo de Interlagos, um dos equipamentos da Prefeitura que está no pacote de concessão à iniciativa privada, ganhou mais de R$ 12 milhões para obras de reforma. Esse dinheiro, inicialmente, seria usado para a construção de corredores de ônibus na capital, mas foi remanejado para melhorias no Autódromo.
No dia 25 de janeiro, em entrevista na TV, o prefeito Bruno Covas já havia sinalizado que não seria possível concluir os 72 km de corredores de ônibus, previsto no Plano de Metas da cidade. “Algumas metas a gente não vai conseguir atingir, e a gente já precisa avisar a população. Por exemplo, a quantidade de construção de corredores. Não vamos conseguir construir o que está previsto e estamos transformando a meta para poder melhorar e requalificar os que já existem”, explicou.
A cidade de São Paulo tem 12 corredores de ônibus, com 128,7 km de extensão no total. Na Zona Sul, as únicas subprefeituras que receberiam novos corredores seriam M’Boi Mirim e Campo Limpo.
Essa não foi a primeira vez que o dinheiro da construção de novos corredores foi remanejado para outro setor. Nos seus 15 meses de mandato, o ex-prefeito João Doria, atual governador do Estado, retirou R$ 716 milhões dessa área para priorizar outras demandas, como saúde. Somando a gestão Doria/Covas, o remanejamento para outras áreas chegou a R$ 874 milhões. Desde 2017, quando o Plano de Metas foi apresentado, foram feitos apenas 3,3 km de corredores, um gasto de R$ 40 milhões.
A Prefeitura informou que, “os recursos foram remanejados de dotação orçamentária e retornarão para corredores de ônibus tão logo tais recursos entrem nos cofres públicos por meio dos convênios com o Governo Federal para esta finalidade, de acordo com a Secretaria Municipal da Fazenda”.
Sobre o Autódromo, afirmaram que o munícipio “não pode deixar o autódromo sem a devida manutenção porque ele recebe anualmente, entre outros eventos, o Grande Prêmio de Fórmula 1, que significa recursos entrando no caixa da prefeitura —com turistas, o recolhimento do ISS; além da geração de emprego”.
O gasto anual do munícipio com o Autódromo chega a R$ 55 milhões, sendo que, R$ 50 milhões são para as estruturas das corridas e R$ 5 milhões com funcionários e a manutenção.
- Patrocinado -

1 COMENTÁRIO

  1. Por que será que não estou surpreso?! E o pior é que mais uma vez a região do M’ Boi Mirim, onde na minha opinião está situado o pior corredor de ônibus da cidade continuará sem apoio da prefeitura!!!
    Lamentável!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.