Prefeitura encaminha mais de 200 pessoas ao curso de Educação de Jovens e Adultos

0
189

Mais de 200 beneficiários do POT – Programa Operação Trabalho da Prefeitura de São Paulo retomaram neste mês às aulas nas unidades Paulo Emílio Vanzolini (Cambuci e Itaquera), para darem continuidade aos estudos do ensino fundamental pelo CIEJA – Centro Integrado de Educação para Jovens e Adultos. A oportunidade de ingressar na Educaçãi de Jovens e Adultos (EJA) foi viabilizada desde julho do ano passado pela parceria entre as secretarias municipais de Educação e de Desenvolvimento Econômico e Trabalho. No final de 2023, 29 beneficiários do POT concluíram a formação.

“Foi muito importante poder concretizar esse avanço no POT, que impacta de forma tão significativa a vida dessas pessoas e famílias. A função desse programa é possibilitar que os beneficiários reconquistem a autonomia, possam voltar ao mercado de trabalho e retomar seus laços afetivos. As oportunidades são ampliadas quando os participantes avançam também nos estudos. A parceria intersecretarial com a pasta de Educação é importante para ajudar os beneficiários a alcançar novos patamares em sua trajetória”, destaca a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso.

Na viabilização da volta aos estudos, as equipes cuidaram dos processos desde a parte burocrática, da organização dos horários e o acolhimento. Em ações conjuntas, o corpo docente das escolas e os agentes do POT têm trabalhado para que os novos estudantes possam ter o acompanhamento e cuidados necessários, apresentando-lhes os profissionais envolvidos, os espaços de estudo, além de realizar uma escuta atenta.

“É gratificante para a Secretaria de Educação participar desta parceria junto à Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho oportunizando os beneficiários do projeto. Apesar dos desafios comuns aos adultos quando retomam os estudos, é de grande importância para eles darem continuidade ao aprendizado ao desenvolvimento pessoal. Nossa secretaria mantém os esforços para o progresso dos estudantes e permanências dos estudantes da EJA” disse o secretário de Educação, Fernando Padula.

A coordenadora geral do CIEJA Paulo Emílio Vanzolini, Maria Adélia Gonçalves, destaca a importância das equipes estarem presentes ao longo de todo o ano letivo para entender as demandas dos alunos que, além de estarem buscando se reafirmar na vida, precisam conciliar as responsabilidades com os estudos e as atividades do POT. “Isso faz a diferença, nós podemos identificar logo no início das aulas. Eles vinham felizes contando o que aprenderam durante as aulas. Agora também sentimos que os que já concluíram estão radiantes com a conquista. E é isso que é o resultado desse trabalho: oferecer novas oportunidades para uma vida digna e mais feliz”, comenta.

Nova etapa

Alguns dos formandos de 2023 também contaram sobre a experiência de estarem concluindo esta etapa. Mariozan Soares reflete que, estando na casa dos 60, não imaginava que ainda teria essa chance. “Eu já deveria estar com a vida decidida, tanto na parte profissional, financeira, quanto a escolar. Mas o tempo passa e essas oportunidades deslizam pelos dedos da gente sem poder aproveitar”.

Na mesma linha, Izael Ferreira conta que, para ele, este foi um período de retomada e reconciliação com o passado. “Tendo batalhado a vida inteira, com dificuldade para conseguir emprego com carteira assinada, muitas coisas acabaram ficando para trás. Sinto que agora estou entrando em contato com muito do que era para ter vivido há tempos”.

Carlos Augusto, outro beneficiário, fala sobre a sabedoria acumulada na vida e, agora, na EJA. “Até então, eu não tinha o conhecimento, o que eu tinha era vivência do dia a dia. Há poucas coisas possíveis para resgatar do passado, mas a escola é uma delas”. O beneficiário também conta que estudar “é terminar um sonho e poder dar um futuro melhor para minha filha”.

Também formanda de 2023, Maria Janaína, que muitas vezes precisava levar os três filhos pequenos com ela para a escola, também fala sobre como o CIEJA a deixou otimista e motivada para o futuro. “Estudar abre portas de trabalho, de conhecimento, de progresso. Tenho certeza que virão só coisas boas para minha família e para todos ao redor também”.

Programa Operação Trabalho – POT

O programa da Prefeitura de São Paulo é voltado à população em vulnerabilidade social, visando estimulá-la à busca de ocupação, bem como a sua reinserção no mercado de trabalho. Atualmente, são 18 mil vagas distribuídas em 17 projetos, que contam com uma bolsa que varia entre R$ 1.482,60 – 30 horas semanais, 6 horas por dia, ou R$ 988,34 – 20 horas semanais, quatro horas diárias.

Entre as ocupações em frentes de trabalho estão zeladoria, manutenção e apoio administrativo. O diferencial desta ação é que os serviços são realizados em locais públicos, fazendo com que o cidadão devolva à cidade o apoio que está recebendo.

Para participar é necessário seguir critérios como ter mais de 18 anos, morar na cidade de São Paulo, estar desempregado há mais de quatro meses e não receber benefícios como seguro-desemprego, FGTS, entre outros. A renda familiar permitida é de até meio salário-mínimo por pessoa da família.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.