Pesquisa domiciliar ISA-Capital ajuda a conhecer a condição de saúde dos munícipes

0
124

Os exames preventivos para detecção precoce de câncer foram ampliados entre 2003 e 2015. O de câncer de colo de útero manteve uma prevalência em torno de 90%. Já o exame preventivo do câncer de mama aumentou de 55,6% para 73,8% no mesmo período. A melhoria das condições de saúde depende de informação e prevenção e este é um dos objetivos do Inquérito de Saúde -ISA-Capital 2023. Ao conhecer o estado de saúde, os hábitos de vida e os usos dos serviços de saúde pela população, é possível, com os dados levantados, contribuir para a prevenção de doenças. Esta tem sido uma das contribuições da pesquisa ISA-Capital: a informação ajuda o município a dimensionar melhor os serviços de saúde e as necessidades de atendimento da população.

Atenção: a pesquisa já chegou ao seu bairro! As entrevistas estão sendo feitas em residências nas seis regionais de saúde e as casas são sorteadas segundo critérios estatísticos, de forma a representar a população com mais de 10 anos de idade. Os pesquisadores estão em campo, uniformizados com coletes verdes e portando crachás de identificação da Faculdade de Saúde Pública (FSP-USP). Suas identificações também podem ser conferidas no site https://www.fsp.usp.br/isa-capital/entrevistadores/

História
Esta é a quarta edição do ISA-Capital, que foi realizado anteriormente nos anos de 2003, 2008 e 2015. Para a edição atual, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS)e a FSP-USP investiram recursos e conhecimento, sendo que a FSP-USP cede seu know-how e instalações para o treinamento das equipes de entrevistadores e supervisores de campo.


“Os resultados da pesquisa devem nortear a criação ou aprimoramento de políticas públicas na área da saúde e contribuir para a elaboração do Plano Municipal de Saúde nos próximos anos”, segundo um dos coordenadores da pesquisa, Chester Luiz Galvão Cesar, Professor Sênior da FSP-USP.


Segundo o Prof. Moises Goldbaum, do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da USP, também coordenador da pesquisa, o levantamento investiga uma série de condições de saúde, por exemplo, o uso de serviços de saúde, atendido em sua
grande maioria pelo SUS, bem como a provisão de medicamentos, especialmente para o tratamento de hipertensão e diabetes.
De acordo com o Prof. Chester, as informações geradas servem como bússola para nortear as políticas públicas implementadas no município, e não apenas para tratar doenças, mas principalmente para promover saúde, com ações preventivas”, afirma.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.