Peça ‘Curtume, Dias Secos Inundados de Acácia’, nova criação teatral de Ester Laccava, chega ao Sesc Pompeia

0
602

A memória escolhida como conceito guia a montagem do espetáculo com atuação e direção da artista


Desde Ossada, espetáculo de 2018, passando pelo experimento audiovisual A Árvore, de 2020, em que dirigiu Alessandra Negrini, Ester Laccava tem se embrenhado por caminhos densos e sensoriais em suas criações e direções teatrais. Em CurtumeDias Secos Inundados de Acácia, sua nova produção como atriz e encenadora (de 22 de novembro a 15 de dezembro de 2023, no Espaço Cênico, do Sesc Pompeia), ela segue guiando o olhar do espectador por este ângulo.

Absorvida pelo realismo fantástico, também tinge a nova peça com as cores desta corrente artística. São as camadas profundas da linguagem teatral que arrebatam a criadora. “Os arquétipos onde nós nos reconhecemos coletivamente”, elabora. Em Curtume, Ester escolheu, enquanto encenadora, a memória como conceito. Num sonho as imagens podem vir desfocadas, alongadas… distorcidas. “Agora mais velha percebo que quando a criação está no meu quarto, no meu colo, mais do que guiá-los para minha experiência pessoal, ou minha opinião sobre o mundo, sobre o ser humano, prefiro que o expectador ache um espaço muito maior, mais coletivo, onde o julgamento abaixe, e a visão aumente. Mais velha, uso óculos e tenho dificuldade para focar um objeto. Quando foco, todo o entorno se desfoca, é um movimento parecido com a criação.”

De forma metafórica, a atriz e diretora aborda nas entrelinhas a condição primária do homem, o trabalho que arranca o couro do ser humano, segundo ela, que não tem outra opção a não ser ficar sem pele, desprotegido em estado de dor, de raiva. “Pessoas que já nascem sabendo que serão abatidas e viverão em condições sub-humanas, exploradas.” Ester gosta de ir para o palco curada, depois de ter abraçado suas feridas, como diz.  “Levo para o teatro minhas deformações e não hesito em mostrá-las porque vejo beleza nisso.” Fala de sua capacidade de se acalmar pelo silêncio para poder escutar o seu mar revolto, boiar e criar. “Muito da minha criatividade vem dessa menina que boia e observa.”

SINOPSE

Curtume é um texto poético, conta a história de uma mulher desde criança até a idade adulta. Ester Laccava dá vida a uma idosa que recebe em sua casa um policial que investiga a morte do dono de um curtume. A busca pelo esclarecimento das razões da morte do homem, encontrado sem pele, nos leva à narração da história de vida de uma mulher que aprende a caminhar sobre cacos de vidro. Inspirada pelas tranças da personagem (“sinuosas como um rio, como um bote armado de urutu”), Laccava criou uma instalação no universo do realismo fantástico. “Do painel de treliça até a porta de entrada do Espaço Cênico do Sesc Pompeia são 17 metros de encontros de um tecido tingido, trabalhado, simulando um cabelo e formando uma enorme trança. Nesse ambiente entram objetos criados pela artista plástica Carla Venusa, as projeções de Mirella Brandi e a sonorização, todos os elementos organizados pela arquiteta Giulia Lacava, assistente de direção.

Sobre a DRAMATURGIA – Por DENIZART FAZIO

A dramaturgia é concebida para uma atriz, de modo que os sucessivos encontros que acontecem no decorrer da peça, sempre são enunciados pela mesma voz. Os filhos, o primeiro patrão, o dono do curtume, o investigador, são personagens que temos acesso apenas pela narrativa da mulher, procedimento comum nas narrativas orais, que ao ser levado ao teatro confere um efeito de estranhamento épico que nos ajuda a acompanhar e nos engajar naquela trajetória de vida.  A dramaturgia da peça é constituída por meio de três movimentos articulados com deslocamentos temporais, que dão conta da trajetória de vida de uma mulher. No primeiro movimento, “Desenhar em pedra e metal”, vemos uma criança desenhando em um latão de metal, em uma espécie de rito iniciático da tragédia que ela irá empreender. No segundo movimento, “Aprender a andar sobre cacos de vidro”, já não se trata mais de uma criança, mas de uma mulher, com seis filhos. Acompanhamos os embates dessa mulher em empregos precários e sua angústia diante da impossibilidade de constituição de uma vida digna.

Neste terceiro movimento, vemos a mulher já idosa, narrando histórias para a sua neta enquanto a ensina a costurar uma sandália de couro, espécie de costura da própria história da velha e de sua neta. É o momento no qual a velha recebe a visita de um investigador que procura saber informações sobre a morte do dono do Curtume da cidade, que foi encontrado em um dos tachos do Curtume, sem pele. Essas três cenas de vida da personagem são estruturadas de modo a conferir um efeito trágico na constituição de uma vingança arquetípica daquela mulher, rompendo com uma estrutura patriarcal de opressão. É a estrutura trágica, porém, a partir de gente comum, pessoas simples, que encarnam movimentos existenciais que se propõe a dignificar a vida humana. O enlace temporal com a neta aponta para o rompimento da cadeia de acontecimentos opressores que se perpetuam a séculos.

FICHA TÉCNICA

Autor: Denizart Fazio. Idealização e Direção Geral: Ester Laccava. Direção de Produção: Emerson Mostacco. Atriz: Ester Laccava. Ambientes Imersivos de luz e imagens: Mirella Brandi. Cenário: Ester Laccava. Projeto de Instalação: Ester Laccava, Mirella Brandi, Carla Venusa e Giulia Lacava. Objetos da instalação: Carla Venusa. Assistente e operador de Luz: Sibila. Figurinos: Emerson Mostacco. Trilha Sonora: Ester Laccava com músicas originais de Mueptemo. Assessoria de Imprensa: Arte Plural/ M Fernanda Teixeira. Fotos: João Caldas Fº. Identidade visual: Giulia Lacava. Produção: Lacava Produções Artísticas / Mostacco Produções. Um projeto da Cia. IndomávelRealização: Sesc.

SERVIÇO

CURTUME – Dias secos inundados de acácia
Temporada: de 22 de novembro a 15 de dezembro de 2023.
Terça a sexta, às 20h30.
Espaço Cênico do Sesc Pompeia. Sesc Pompeia – Rua Clélia, 93.
Capacidade: 61 lugares. Duração: 60 min. Ingressos: R$ 12,00 (credencial plena/trabalhador no comércio e serviços matriculados no Sesc e dependentes), R$ 20,00 (pessoas com +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino, ID Jovem, PCD e seus Acompanhantes) e R$ 40,00 (inteira).
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 14 anos. Não tem estacionamento. sescsp.org.br/pompeia


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.