Para tentar vaga para os filhos, mães e pais passam Réveillon na porta de escola da Capela do Socorro

0
86

A maioria dos pais estavam na fila desde o dia 28 de dezembro com a justificativa de que a Escola Estadual Prof. José Geraldo de Lima, no Jardim Ipanema, é uma das melhores da Zona Sul


Enquanto muitos paulistanos pegaram a estrada para aproveitar as festas de fim de ano fora de São Paulo, pais e mães de alunos que precisam de uma vaga no ensino público da capital passaram a virada de ano na porta de uma escola na Zona Sul.

Todos eles estavam ali pelo mesmo motivo: garantir que seus filhos sejam transferidos para a Escola Estadual Prof. José Geraldo de Lima no Jardim Ipanema, região da Capela do Socorro. A maioria dos pais estavam na fila desde o dia 28 de dezembro com a justificativa de que essa Escola é uma das melhores da Zona Sul. “O Ano Novo a gente passou aqui todo mundo junto, para conseguir uma vaga aqui nessa escola que é referência, que é muito boa'”, disse uma mãe.

Segundo a Secretaria Estadual de Educação, não há necessidade dos pais formarem filas porque as vagas são formadas por um sistema que dá preferência para quem mora mais perto. Segundo a pasta, “a lista para quem conseguiu a transferência sai no dia 13 de janeiro”.

ENSINO INFANTIL

Nesta semana a Prefeitura anunciou que, pela primeira vez na história, a fila por vagas em creches ficou com um número abaixo de 10 mil crianças registrando 9.670 crianças que esperam por uma vaga para em creches municipais.

Segundo a Prefeitura, a redução de 50,9% na fila de crianças entre 2018-2019 garantiu um aumento de matrículas de 23%, saindo de 284.179 para 350.460.

No site “Vaga na Creche”, mães e pais podem ver em qual posição na fila os seus filhos estão. Além disso, é possível indicar dois endereços para vaga em creche: um endereço perto de casa e outro endereço perto do trabalho dos responsáveis pela criança.

Apesar da redução da fila, a Zona Sul da capital ainda é a que tem mais crianças esperando por uma vaga em creche: no Jardim Ângela são mais de 700 e no bairro de Pedreira, quase 500.


FALE COM A REDAÇÃO
Sugestões de pauta, envie email para: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.