14.9 C
São Paulo
quinta-feira, 30 junho, 2022
Mais

    Orquestra Filarmônica Santo Amaro completou 17 anos com concerto especial de rock

    Mais lidas

    Orquestra foi fundada através de uma brincadeira da regente Sílvia Luisada, resultando em um grande sucesso


    A Ofisa, Orquestra Filarmônica Santo Amaro, completou em outubro 17 anos de sua fundação. Foi realizado no domingo de dia das bruxas (31), um concerto especial contando a trajetória do rock, da década de 50 até hoje. Foi a primeira vez, desde o início da pandemia, que a Regente Sílvia Luisada fez uma apresentação no Teatro Paulo Eiró com 100% da capacidade de público, que lotou o teatro e não se arrependeram de acordarem cedo no domingo para curtir um bom e velho rock ‘n’ roll.

    São muitos anos de ensaios, concertos e uma rotina diária com a música que Sílvia passou, ela é a fundadora da Ofisa e conta que a orquestra nasceu de uma brincadeira que virou coisa séria. “Sou funcionária da Secretaria Municipal de Cultura há 29 anos e a Ofisa surgiu com um projeto meu, nós ficávamos na Casa de Cultura de Santo Amaro, quando meu coordenador perguntou o que eu queria fazer como projeto de música, respondi brincando que ia montar uma orquestra, e ele aderiu a ideia e perguntou ‘vamos?’, e embarquei nesse desafio”, conta.

    A Ofisa nasceu em julho de 2004 realizando testes e selecionados os primeiros músicos, começando com 37 músicos, onde estreou em outubro daquele ano no Teatro Paulo Eiró, agora conta com 50 músicos. “Fui percebendo no decorrer dos anos que era uma oportunidade para os jovens desenvolverem seus talentos e se profissionalizarem”, revela Sílvia.

    Em 2017, os trabalhos de Sílvia chamaram a atenção do então Secretário Municipal de Cultura, André Sturm, onde conseguiu fazer com que os músicos pudessem ter uma residência artística, saindo da Casa de Cultura e conquistando o espaço no Teatro Paulo Eiró, também em Santo Amaro. “Com a música no teatro, passamos a ser mais exigentes, a acústica do teatro deu a orquestra um crescimento sonoro e técnico muito grande, e a bilheteria pôde suprir as despesas básicas de locomoção dos músicos”.

    Todos os concertos da Ofisa têm a preocupação didática em ensinar cultura através da música, “gosto de fazer concertos didáticos, já usamos atores para representarem o que a música significa, concertos de temas de filmes com os músicos vestidos de personagens, não tem como não mergulhar na música, acho que o figurino também é uma forma de se expressar e de dar sentido a música”.

    O sonho de infância de Sílvia era ser pianista em concertos, aos 7 anos, após insistir por 1 ano aos pais para colocar em uma aula de piano, foi um amor à primeira vista, aprendendo em 2 meses, 1 ano de piano. “Com 17 anos eu já dava concertos como pianista, era um sonho meu, acho que poderia no piano ter o público que tenho hoje, mas como regente recebo a gratidão do público junto a 50 músicos, então acho que sou muito mais útil profissionalmente como regente, do que só pianista”, revela Sílvia sobre seu passado.


    SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

    Leia mais

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    - Patrocinado -

    Últimas