Órgãos públicos realizam operação contra loteamento ilegal e crime organizado na represa Guarapiranga

0
820

Várias entidades investigam instalação de imóveis ilegais e crimes ambientais que seguem crescendo na região


Atendendo ao pedido do instituto RUA (Instituto de Relações Urbanas e Ambientais), que abriga o projeto Limpeza na Represa, a Secretaria de Mudanças Climáticas atendeu o pleito de um ofício pedindo a atenção da Secretaria na Guarapiranga, um grupo de trabalho especial com foco nas ações de preservação esteve presente em Parelheiros no entorno da represa Guarapiranga no domingo (10), devido à suspeita de loteamento ilegal.

A Sabesp, CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), SECLIMA (Secretaria de Mudanças Climáticas), ENEL, GCM (Guarda Civil Metropolitana), Polícia Ambiental e Polícia Militar, com apoio da Subprefeitura do M’boi Mirim, estiveram presentes na operação.

As informações indicam que em um grande terreno, em posse de um homem que o comprou legalmente, estava sendo construído um condomínio não autorizado, se enquadrando como loteamento ilegal. A área já continha boa parte construída e recursos como encanamento, luz e água, sendo vendido a pessoas que não sabiam da ilegalidade da situação.

Além disso, a área também estava sendo aberta para caminhões jogarem entulho bem perto da nascente da represa, que bem ao lado contém uma mata nativa, que agora corre risco de contaminação.

Até onde se sabe, alguma organização criminosa, composta também por investidores, está atuando na área, que fica no lado da Riviera, em parelheiros. Outras áreas em volta também estão nas mãos do crime organizado que acabaram criando uma associação, sendo depredadas e desmatadas, assim como o local recém-descoberto.

Órgãos públicos seguem vigiando o local e monitorando por satélite.

A grande área que compõe a represa, há muitos anos segue tendo problemas com moradias ilegais e outros problemas ambientais que geram uma grande poluição, prejudicando não só a área verde, mas também os moradores de grande parte da Zona Sul, que depende dela para o abastecimento de água das residências.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.