Morumbi e Itaim têm maiores altas de roubo em São Paulo

0
408
Divulgação Taba Benedicto/Estadão

Dados foram divulgados pela Secretaria da Segurança Pública, que diz desenvolver ações para combater a criminalidade


Os bairros do Morumbi e do Itaim Bibi, na zona sul de São Paulo, foram as localidades da cidade onde os roubos mais cresceram em 2023 na comparação com 2022, de acordo com dados divulgados pela Secretaria da Segurança Pública do Estado. No total, esse tipo de crime teve redução na capital no período, mas em algumas regiões os registros aumentaram.

Foram 133 mil roubos no ano passado ante 142 mil em 2022 em toda a cidade, uma queda de 6,7%. Olhando bairro a bairro, é possível notar que, enquanto alguns tiveram quedas significativas, outros tiveram aumento de ocorrências desse tipo. No geral, 58 dos 93 distritos apresentaram redução de roubos, enquanto o crime subiu em outros 21; em 14, houve estabilidade (com 2% ou menos de variação).

As maiores altas de roubos foram no Portal do Morumbi (37%) e Itaim Bibi (28%), na zona sul, assim como na Aclimação (28%), no centro expandido. O Estadão já havia mostrado que os roubos de celulares no Itaim Bibi, em especial na Faria Lima, estavam frequentes. No Glicério, na região da Aclimação, as gangues de “quebra-vidros” operam.

A maior queda de roubos aconteceu no Butantã (29%), zona oeste da capital, seguido de Parque Bristol (28%), na zona sul, e Teotônio Vilela (26%), na zona leste.

Por estes motivos, o centro de São Paulo, historicamente, tem um alto índice de roubos – os Campos Elíseos tem o maior número absoluto de roubos (6.199), e, em terceiro lugar, atrás do Capão Redondo, está a Sé (4.334).

No Itaim Bibi, o aumento dos roubos pode estar relacionado à volta do trabalho presencial na região da Faria Lima, que concentra o grande centro financeiro da cidade. E no Morumbi, a grande quantidade de condomínios, com entrada e saída de veículos, pode atrair assaltantes, conforme a explicação do coordenador do Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (USP), Marcelo Batista Nery.

O especialista diz que o principal fator que leva a um aumento ou diminuição de roubos é a condição socioeconômica da população – quanto mais pobre e desigual é a cidade ou o País, maiores são os roubos, em tese. Fonte: Estadão


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.