13.2 C
São Paulo
segunda-feira, 27 junho, 2022
Mais

    Mais transmissíveis, variantes exigem que medidas de prevenção sejam mantidas

    Mais lidas

    Cidade apresenta estabilidade no número diário de casos, mas ainda em um patamar considerado alto

    A presença da variante delta no município de São Paulo, assim como as demais variantes de preocupação do novo coronavírus (alfa, beta e gama), aumenta a preocupação em relação ao aumento da transmissibilidade e diminuição da eficácia das medidas sociais e de saúde pública. Por isso, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) recomenda que todas as medidas individuais de prevenção sejam mantidas com rigor. O alerta foi feito pelo prefeito Ricardo Nunes, durante coletiva online na sede da Prefeitura de São Paulo.

    Segundo o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, é necessário manter todos os cuidados para evitar a transmissão do vírus. “Nós estamos acompanhando o movimento das variantes com toda a nossa rede. A partir de agora, vamos distribuir máscaras N95, que são mais adequadas para este momento da pandemia, para todos aqueles identificados como sintomáticos respiratórios e seus comunicantes. Inicialmente, serão 500 mil máscaras.”

    O primeiro caso da variante delta notificado em São Paulo se deu no dia 5 de julho. Os primeiros sintomas foram registrados em 19 de junho. De lá para cá, a cidade registrou 22 casos confirmados.

    Desde a primeira notificação, os registros diários de casos pararam de cair e se estabilizaram. É o que se pode verificar nas últimas quatro semanas epidemiológicas.

    Recomendações

    O que se recomenda neste momento é que se mantenha o uso correto das máscaras (cobrindo o nariz e a boca), distanciamento social, higienização de mãos e, principalmente, evitar aglomerações.

    Se a pessoa apresentar qualquer sintoma compatível com síndrome gripal é necessário procurar uma unidade de saúde e todos os casos suspeitos devem ser imediatamente notificados e investigados clínica e laboratorialmente.

    A partir daí, é necessário ficar em isolamento por no mínimo 10 dias. Os contatos próximos devem fazer quarentena de 14 dias.

    A Secretaria também reforça ao público elegível para tomar a vacina antiCovid e não deixar de tomar a segunda dose para completar o ciclo vacinal.


    SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

    Leia mais

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    - Patrocinado -

    Últimas