Jogos inesquecíveis #01 | Corintiano Eduardo Micheletto estava na torcida do Boca Juniors na final da Libertadores de 2012

0
70

Completando 10 anos do título invicto do Timão na Libertadores, Eduardo revela detalhes desse momento histórico


O Grupo Sul News dará voz aos grandes torcedores da nossa amada Zona Sul, fanáticos pelos seus clubes de futebol e relembrar de um jogo inesquecível! O jornalista e nosso parceiro Eduardo Micheletto, corintiano roxo, está inaugurando o quadro com a óbvia resposta de qualquer bando de louco: Boca Juniors 1×1 Corinthians, 1º jogo da final da Libertadores de 2012.

“A 1ª final do Timão na Libertadores, com o time invicto e buscando acabar com aquela zoação de que não tínhamos Libertadores é, sem dúvidas, o mais marcante!”, diz Micheletto.

Até o dia 27 de junho de 2012, apenas o Santos do Pelé e o Payssandu, em 2003, conseguiram ganhar do Boca Juniors na La Bombonera. “Confesso que esse empate em 1×1, saiu com gosto de vitória”, relembra.

Micheletto estava de férias com mais 3 amigos em Buenos Aires (ARG), quando o camareiro do hotel identificou a camisa do Corinthians e ofereceu os ingressos na véspera do jogo. Mas pasmem! Para ir na torcida do Boca Juniors!

“Compramos por um preço altíssimo! Fomos com camisetas normais. Nos seguramos muito no gol do Romarinho. Eu mesmo pulei, aí me seguraram, pois é uma reação instantânea, e dei um grito em espanhol para disfarçar. Muita gente olhou pra minha cara”, revela confessando o perigo que correu para ver um jogo histórico.

No jogo, o Corinthians parecia nervoso. Para Micheletto, o Boca não tinha mais aquele time temível, havia um Riquelme em final de carreira e o perigoso atacante Santiago Silva, ao qual deu um susto em uma finalização de bicicleta. “O Boca dominou bastante. Tite jogava recuado por uma bola. Tomamos um gol aos 27 minutos do 2º tempo, numa falha do Chicão. Mas soube sofrer e fez um bom resultado.”

O Corinthians havia passado pelo Vasco, após o emblemático lance do Diego Souza parando no sutil toque dos dedos de Cássio. O Diego Souza deveria ganhar um busto no Parque São Jorge por esse lance, ironiza com humor. E ainda eliminou o Santos de Neymar e Ganso na semi-final, consagrando como uma das maiores campanhas de um clube brasileiro na Libertadores.

“Não só pelas zoações por anos por não ter esse título, mas após ter sido eliminado na pré-Libertadores pelo Tolima no ano anterior e com a diretoria mantendo o Tite, foi tudo muito especial para toda a Fiel!

Relembre os melhores momentos desse épico embate na La Bombonera, pelo 1º jogo da final!!!

SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.