Hidrojatos que limpam e desobstruem bueiros e bocas de lobo reduzem tempo de alagamento em mais de 3 horas

0
174

Cidade conta com 60 caminhões que fazem a limpeza preventiva, mas também trabalham em situação de emergência para um escoamento mais rápido da água da chuva


O escoamento da água depois das fortes tempestades na cidade de São Paulo ganhou velocidade depois que a Prefeitura aumentou de 24 para 60 o número de caminhões que fazem hidrojateamento, uma das tecnologias mais avançadas no combate a enchentes, capaz de desobstruir bueiros e bocas de lobo com maior rapidez ao utilizar jatos de água com alta velocidade e pressão para remover a sujeira levada pela chuva. Parte da frota fica em operação durante 24 horas.

Os caminhões trabalham de duas formas: preventivamente, com as equipes fazendo a limpeza e desobstrução das vias utilizando esses veículos, que se somam ao trabalho manual diariamente; e com os alagamentos ativos nos dias de chuva.

As equipes são direcionadas para os pontos de alagamento com base nas informações que a Prefeitura recebe do Sistema Urano, um módulo de gestão que usa a inteligência artificial para depuração dos dados capturados por sensores instalados nas ruas, estações meteorológicas exclusivas para zeladoria, além da inteligência artificial. O Urano abre ordens de serviço de emergência, que direcionam o hidrojato para fazer a desobstrução de bueiros e bocas de lobo.

Esse gerenciamento permitiu uma mudança radical no tempo para o escoamento da água, que em algumas situações é superior a 3 horas de redução.

Um exemplo é a avenida Roque Petroni, no Jabaquara, Zona Sul, que em seis anos teve redução de 3 horas e 19 minutos no tempo de escoamento da água, apesar de o volume de chuva ter aumentado nesse período.

Em 10 de janeiro de 2018, o pluviômetro instalado no piscinão Jabaquara registrou um total acumulado de 17,4 milímetros de chuva. Isso provocou um alagamento de 3h45 de duração.

A zeladoria, com apoio do hidrojato, mudou o cenário. Em 10 de janeiro de 2024, o mesmo pluviômetro registrou um total acumulado de 82,2 milímetros, quase cinco vezes mais. Mas o alagamento durou 26 minutos.

Com uso de alta pressão, o hidrojateamento é utilizado para desobstruir a sujeira que não permite o pleno escoamento da água da chuva. O equipamento é um combinado de basculamento do tanque e bombas de hidrojateamento e vácuo. O trabalho é realizado por profissionais capacitados, com segurança e qualidade no resultado da ação de zeladoria.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.