Grajaú poderá ter rua com nome da primeira travesti do Brasil com PL aprovado

0
3301
Erika Hilton, vereadora do PSOL e autora da PL | Foto: @ErikakHilton / Twitter

Xica Manicongo foi uma escrava vinda do Congo, em 1591, ao qual se identificava como mulher


Na terça-feira (7) foi um marco para a comunidade LGBTQIAP+, visto que a Câmara Municipal de SP aprovou um Projeto de Lei (PL) ao qual aceita a implantação do nome de uma rua na região do Grajaú, extremo Sul Paulista, com o nome de Xica Manicongo, o nome da primeira travesti no Brasil.

O PL aprovado está agora para sansão ou veto do Prefeito Ricardo Nunes. A rua ainda não tem nome e fica entre as vias Rodrigues e Rua Um.

A autora do PL, Erika Hilton (PSOL), é a primeira mulher trans a ocupar um cargo no Legislativo Municipal, sendo a mulher mais votada e a 6ª no ranking geral em São Paulo. “Xica Manicongo representa a luta das travestis brasileiras pelo direito à memória e reconhecimento e por isso é importante homenagear sua luta e existência!”, afirmou a vereadora.

Xica Manicongo foi trazida ao Brasil através de um sequestro vindo do Congo (África) em 1591. Foi submetida a condição de escravidão na Bahia, época ao qual se recusava ser chamada pelo nome masculino e trajava roupas femininas, sendo acusada pela Igreja Católica de sodomia, onde abriu mão de seu verdadeiro eu para manter a vida, seguindo os costumes que a Igreja ordenava.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.