23.6 C
São Paulo
quinta-feira, 26 maio, 2022
Mais

    Governo muda calendário escolar e inclui dois recessos, além das férias

    Mais lidas

    O ano letivo começa em 3 de fevereiro e termina em 23 de dezembro, totalizando 200 dias de aulas, conforme determina a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional


    As aulas nas escolas estaduais começam na próxima segunda-feira (3) e o Governo do Estado divulgou como será o calendário escolar de 2020. A novidade é que, além das férias de julho, haverá dois períodos de recesso em abril e outubro.

    O ano letivo começa em 3 de fevereiro e termina em 23 de dezembro, totalizando 200 dias de aula, conforme determina a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Os alunos dos ensinos Fundamental e Médio (matutino e vespertino) terão sete aulas por dia, sendo 45 minutos cada uma. “Os estudantes do período matutino passam a sair da escola às 12h35 – não mais às 12h20. No período vespertino, a saída será às 18h35 – no ano passado era às 18h20”, informou a Secretaria Estadual de Educação.

    O primeiro recesso acontece em abril, entre os dias 20 e 24. As férias de julho, portanto, serão mais curtas: do dia 10 a 26. Outro recesso acontece em outubro, entre os dias 13 e 16.

    Os kits de materiais escolares já começarem a ser entregues às escolas. Segundo a Secretaria da Educação, até 13 de fevereiro, todas as escolas da capital e do resto do Estado vão receber os materiais, que tiveram investimento de R$ 94,3 milhões.  

    “O conteúdo do kit varia de acordo com o ciclo de ensino do estudante. Para os anos iniciais do ensino fundamental, ele inclui 29 itens como apontador, borracha, cadernos, canetas, lápis, gizes de cera, régua, lápis de cor e cola branca. Para os alunos dos anos finais do ensino fundamental, são 30 itens. Já os alunos do ensino médio recebem 25 itens”, informou a Secretaria.

    ENQUANTO ISSO, NA PREFEITURA DE SP …

    Os alunos das escolas municipais da capital paulista retornam às aulas na próxima quarta-feira (5), porém, sem uniformes e materiais. A Prefeitura reprovou e cancelou a compra dos uniformes feitos por 20 empresas que participaram da produção das roupas escolares. As amostras das roupas foram testadas mas apresentaram acabamento inadequado e preço acima do previsto.

    Então, cada aluno da rede pública municipal terá direito a um cartão de R$ 215 para que a família compre o kit de uniforme, que serão vendidos em lojas cadastradas pela Secretaria Municipal de Educação.

    O app para compra dos uniformes deve ficar pronto em março e os kits de material devem chegar até a segunda semana de fevereiro.


    FALE COM A REDAÇÃO
    Sugestões de pauta, envie email para: reportagem@gruposulnews.com.br

    - Patrocinado -

    Leia mais

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    - Patrocinado -

    Últimas