Fundação Paulistana forma 600 alunos em cursos gratuitos voltados para o meio ambiente

0
712

A Fundação Paulistana, vinculada à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho (SMDET), por meio do projeto EcoaSampa, formou mais cinco turmas entre o final do mês de julho e início de agosto, na área do meio ambiente. Já são quase 600 alunos formados desde 2019.

Os cursos foram de Produção de Alimentos Agroecológicos (duas turmas); Manejos de Recursos Naturais Voltados ao Ecoturismo (uma turma); Oficina de Aproveitamento Integral dos Alimentos (uma turma) e Permacultura (uma turma).

Sobre os cursos

No curso de Produção de Alimentos Agroecológicos, os alunos aprenderam sobre técnicas de cultivo, manejo e conservação, além de conhecimentos básicos sobre solo, clima, classificação vegetal, propagação de sementes e métodos de compostagem. Uma turma foi em Parelheiros e outra em Marsilac, na Zona Sul de São Paulo.

A Oficina de Aproveitamento Integral dos Alimentos abordou técnicas básicas da preparação dos alimentos dentro de uma alimentação adequada, priorizando o sabor e valor nutricional deles, assim como conhecimento sazonal e integral. As atividades ocorreram no Centro Ambiental e Capacitação Agroecológica, em Parelheiros.

Em Permacultura (planejamento e execução de ocupações humanas sustentáveis, unindo antigas práticas aos modernos conhecimentos das áreas) os alunos aprenderam, por meio da bioconstrução (construção onde a preocupação ecológica está presente desde sua concepção até sua ocupação) com bambus e técnicas como analisar clima, solo, temperatura, água e fisiologia vegetal. Além disso, as aulas também abordaram técnicas do manejo de terra e natureza, como a fabricação de adubo orgânico para plantas. O curso foi realizado em Marsilac.

Já o curso de Manejos de Recursos Naturais Voltados ao Ecoturismo ensinou o contexto do meio ambiente natural no qual estão inseridos, bem como as relações humanas na utilização dos recursos naturais. Em aulas práticas e teóricas refletiram sobre o tema para gerar ações que possam minimizar os impactos e conciliar a preservação e conservação dos recursos. Os alunos poderão atuar como monitores de trilhas e guias de parques. As aulas aconteceram no Parque Estadual da Cantareira, na Zona Norte.

“Capacitar a população de São Paulo com qualidade e eficiência significa dar oportunidades para a geração de emprego, renda e a fomentar o empreendedorismo”, afirma a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso.

“A Fundação Paulistana acredita no potencial dos munícipes da cidade de São Paulo, levando qualificação profissional gratuita principalmente à população de baixa renda, de acordo com as necessidades de cada território. Investir no desenvolvimento econômico e sustentável, além de olhar para a cidade do futuro e as tendências do mercado, é reduzir as desigualdades sociais”, destaca a diretora geral da Fundação Paulistana, Maria Eugenia Ruiz Gumiel.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.