Espetáculo “Noel, um musical” faz curta temporada no Teatro do Célia, no Itaim, com entrada gratuita

0
481
Crédito: João Caldas

Serão 10 sessões, até 12 de novembro, da montagem de texto clássico de Plínio Marcos escrito em 1977 sobre a vida do “Poeta da Vila”


O espetáculo “Noel, um musical”, adaptação de uma das principais peças da trajetória de Plínio Marcos (1935-1999), escrita em 1977, sobre a vida do genial Noel Rosa (1910-1937), fará uma nova temporada na capital paulista, desta vez no Teatro do Célia, no Itaim. O público terá a oportunidade de assistir ao legado destes dois ícones da cultura brasileira entre os dias 02 e 12 de novembro, com entrada gratuita.

A montagem conta com direção e adaptação de Marco Antonio Rodrigues, com colaboração dramatúrgica de Samir Yazbek e direção musical de Marco França. Já o elenco é formado pelos atores e atrizes Barroso, Bruna Alves, Caio Silviano, Cecília Barros, Dom Capelari, Fabio Pazitto, Guti Vellutini, Julia Alves, Katia Naiane, Mariah Altruda e Tássia Cabanas.

“Noel, um musical” leva ao palco a trajetória do “poeta da Vila”, com seus amores, suas paixões, seus amigos e suas rivalidades. O enredo se desenvolve em três momentos históricos não cronológicos, que se conectam ao longo da montagem, trazendo o espectador para a década de 1930, época de Noel Rosa, o final dos anos 1970, auge da ditadura militar e da produção de Plínio Marcos e os tempos atuais.

Tudo isso permeado por composições clássicas de Noel Rosa como “Com que Roupa”, “Orvalho Caindo”, “Fita Amarela” e “Último Desejo”, que integram o repertório de mais de 300 composições criadas por Noel em apenas 27 anos de vida.

Outro ponto importante na adaptação do diretor Marco Antonio Rodrigues foi a inclusão de dois narradores, figuras que mesclam o clássico com o atual: Ademar Casé, um dos pioneiros do rádio no Brasil nos anos 30, contemporâneo de Noel Rosa, e um YouTuber. Há ainda uma participação sutil de Plínio Marcos, explicando como Noel e sua obra foram verdadeiros “modernistas cariocas”.

Sinopse: O espetáculo homenageia as trajetórias de Noel Rosa e Plínio Marcos, permeadas por três períodos históricos que se conectam: a década de 1930, época de Noel Rosa, os anos 1970, auge da ditadura e período da criação da dramaturgia de Plínio Marcos, e os tempos atuais. No palco, um radialista dos anos 30, um apresentador dos anos 70 e um YouTuber trazem o clima dos botequins para relembrar os tempos de Noel Rosa, incluindo figuras emblemáticas do Rio de Janeiro, como o radialista Casé, as cantoras Marília Batista e Aracy de Almeida e o cantor Wilson Batista.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.