Em live, Prefeitura divulga dados da produção agrícola em terra indígena de Parelheiros

0
2

A live promovida pela UMAPAZ acontece nesta quarta-feira (30) para destacar a biodiversidade da região e os levantamentos florístico e de produção agrícola da Terra Indígena Tenondé Porã 


Conhecer melhor a flora e a produção agrícola na Terra Indígena Tenondé Porã, em Parelheiros, são objetivos de duas publicações a serem lançadas nesta quarta-feira (30), às 16h, em um evento on-line com transmissão no canal no YouTube da UMAPAZ (Universidade Aberta do Meio Ambiente e Cultura de Paz), da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente.

“Flora Tenondé Porã – levantamento florístico na Terra Indígena Tenondé Porã: resultados preliminares” e “Os agricultores guarani e atual produção agrícola na Terra Indígena Tenondé Porã” são os nomes das duas publicações, que foram pensadas ainda no ano de 2019 e contaram com o apoio da Bloomberg Philanthropies e do Projeto Ligue os Pontos da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, que promove o desenvolvimento sustentável do território rural e aprimora suas relações com o meio urbano na agricultura do município.

Os dados e informações coletados foram realizados em conjunto com representantes e lideranças guarani e devem subsidiar o Plano de Gestão Territorial e Ambiental (PGTA), que ajuda a consolidar o território indígena. Eles serão disponibilizados no Portal GeoSampa.

Levantamento Florístico da Terra Indígena Tenondé Porã

O trabalho foi realizado em parceria pelo Herbário Municipal e o Projeto Ligue os Pontos e foi autorizado pela FUNAI (Fundação Nacional do Índio) e pelas lideranças das seis aldeias do Território Indígena Tenondé Porã. Por conta da pandemia, foi momentaneamente paralisado, mas já catalogou 301 espécies vegetais, sendo 271 nativas do município (cinco que ainda não haviam sido registradas em São Paulo). Foram identificadas ainda plantas com potencial de uso comercial para paisagismo, como bromélias, epífitas e cactáceas; e ainda diversas espécies que devem ser utilizadas em planos de recuperação ambiental em antigas áreas desmatadas, como pixirica, pindaíba e copaíba.

Levantamento dos agricultores guarani

Realizado pelo Centro de Trabalho Indigenista em uma contratação do Projeto Ligue os Pontos e também autorizado pela FUNAI, o levantamento na Terra Indígena Tenondé Porã identificou 81 roças cultivadas por 492 pessoas (entre adultos e crianças) da comunidade guarani, de um total de 1390 pessoas que vivem nas seis aldeias dali (40% dos agricultores são mulheres e 64% têm entre 21 e 59 anos). Os principais cultivos são de banana, mandioca, milho, batata doce, feijão e amendoim. A produção agrícola é toda baseada em práticas agroecológicas, muitas em sistema agroflorestal.

SERVIÇO: Live – A Biodiversidade da Terra Indígena Tenondé Porã
Local
: YouTube da UMAPAZ
Data: 30/06 (quarta-feira) às 16h


SUGESTÕES DE PAUTA: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.