Desfiles das escolas de samba do Grupo Especial, em São Paulo, reúnem 64 mil pessoas no Anhembi

0
97

Os desfiles das escolas de samba do Grupo Especial do Carnaval paulistano reuniram 64 mil pessoas no Sambódromo do Anhembi. Segundo a São Paulo Turismo (SPTuris), 29 mil pessoas assistiram às apresentações de sexta-feira (22) e outras 35 mil no sábado (23).

“Um público excelente, sem nenhum grande incidente e com as pessoas elogiando bastante. A Liga e as escolas fizeram um desfile maravilhoso”, destacou o prefeito Ricardo Nunes.

Entre os dias 21 e 24 a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) ativou um esquema especial de trânsito para o acompanhamento dos desfiles das escolas de samba no Sambódromo do Anhembi e Autódromo de Interlagos, que ocorreram de acordo com os planejamentos efetuados com antecedência. A operação rotineira do sistema viário da cidade também ocorreu de forma tranquila, sem ocorrências relevantes.

Durante as apresentações no Anhembi, a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania distribuiu 35 mil tatuagens adesivas com mensagens contra assédio, racismo e homofobia, além de divulgar os canais para denúncias de violações de direitos. Já a Secretaria da Saúde fez a distribuição de preservativos.

Limpeza

A limpeza no sambódromo contou com os trabalhos de 230 funcionários com 15 veículos entre quinta-feira (21) e sábado (23), sendo retiradas no total 26,29 toneladas de detritos durante os dias de desfile. O efetivo da Guarda Civil Metropolitana foi de 369 GCM’s e 161 viaturas, no período de 20 a 24 de abril.

No Autódromo de Interlagos, 320 funcionários e 30 caminhões de limpeza recolheram, no total, 4,5 toneladas de detritos entre quinta e sábado. A equipe da guarda disponibilizou um efetivo de 155 GCMs.

Blocos carnavalescos

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) fez um monitoramento intensivo nos principais polos, conforme histórico de desfiles de blocos nos anos anteriores. A operação contou com um efetivo de aproximadamente 400 agentes de trânsito por dia e 350 viaturas, além da ativação da sala estratégica e central de operações na rua Bela Cintra, 385, com um efetivo interno de aproximadamente 50 pessoas por dia e efetivo.

Segundo o prefeito Ricardo Nunes, o relatório produzido pela CET registrou 17 pontos da cidade onde pequenos blocos saíram.

“Todos com poucas pessoas e sem nenhum incidente. A gente fica muito feliz já que os grandes blocos aceitaram o apelo da prefeitura de não saírem e entenderam que o momento não era adequado, já que a gente não tinha estrutura e segurança para oferecer”, disse.

“A gente teve a compreensão das pessoas e fica agora a nossa responsabilidade, se assim eles entenderem que deve ser feito, de retribuir essa confiança de fazer em julho um grande esquenta para o carnaval de 2023. Nós fizemos essa proposta de fazer nos dias 16 e 17 de julho. Esta semana a secretária Aline Torres (Cultura) vai publicar no site os formulários para que os blocos se manifestem e, havendo a adesão, nós teremos tempo para publicar o edital de chamamento para patrocinador e organizar toda à infraestrutura necessária”, completou o prefeito.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.