Copa Joy está ficando tradicional em Interlagos e piloto Eber Gomes apresenta categoria

1
1933

Criado em 2019 pela Aplie Escola de Pilotagem, todos os pilotos usam o mesmo carro, o que torna a disputa muito competitiva e divertida!


Geralmente, tem-se a cultura de dizer que devemos procurar buscar nossos sonhos e objetivos ainda quando é jovem, como a pressão de escolher uma carreira profissional ainda no ensino médio. Mas esquecemos que na vida adulta, na realidade, nunca é tarde para ir atrás do que gosta ou de conhecer uma nova paixão.

Foi o caso do piloto da Copa Joy, Eber Gomes, de 44 anos. Vindo de família apaixonada por automobilismo, Eber e os três irmãos foram assistir uma corrida do Campeonato Paulista de Marcas no autódromo de Interlagos em 2010, aos 32 anos, onde nasceu uma grande paixão!

“Embora eu cresci na região, não conhecia como era dentro do autódromo. Essa corrida tinha carros como Gol, Corsa, Celta, carros 1.6 e conhecemos o pessoal da Alpie Escola de Pilotagem, que nos apresentou o curso de habilitação para pilotos. Acabamos que eu e os três irmãos viemos fazer o curso e em 2011 já estávamos estreando, em 4 carros na pista, no Paulista”, lembra Eber.

A jornada nas pista de Eber começou numa equipe mais fraca, mas que foi fundamental para conhecer a pista, criar experiências de pilotagem e render uma parceria com a Alpie Escola de Pilotagem, que possuíam uma equipe com mais experiência e potência na categoria.

“Na época tinha 62 carros no grid, que é o limite máximo da pista. E ainda tinham mais inscritos do que a pista permitia. Corri por alguns anos, estreando na categoria novato do campeonato. Mas desde que a Alpie criou a Copa Joy, em 2019, comecei a correr e já estou garantido para a próxima temporada também”, explica.

A Copa Joy foi criada quando os carros usados no curso de pilotagem da Alpie foram substituídos, vendendo os antigos Celtas com a chegada dos novos modelos Onix (Ambos da Chevrolet). Os carros usados para a escola são os mesmos que são usados na Copa Joy, onde é natural que novatos participem da categoria.

Na Copa Joy, todos os carros são iguais, com mesma potência, mesmas peças mecânicas, mesmos pneus, para que nenhum piloto tenha vantagem através do carro. Esse que é o diferencial da categoria, os tempos de volta são definidos nos milésimos, uma freada mais brusca, ou qualquer erro, você pode sair de 1º para 15º na classificação”, diz Eber.

O campeonato possui 6 etapas de corridas duplas, totalizando 12 corridas no ano, entre os Autódromos de Interlagos e o Velocitta, em Mogi Guaçu-SP, além de contar também com 2 ou 3 corridas endurances, que são corridas de longa duração e não fazem parte do calendário. Já a pontuação vale para os 10 primeiros, tradicional pontuação dos campeonatos regionais e brasileiros.

“Mas tem um detalhe: Na classificação final os dois priores resultados de cada piloto na temporada são descartados. Já aconteceu de eu terminar em 3º após última prova, mas com os descartes eu terminar o campeonato em 5º. Então precisa estudar muito bem o que vai acontecer no campeonato para usar estes descartes a favor”, explica.

Eber contou um pouquinho sobre sua experiência como piloto nestes 12 anos de aventuras atrás do volante, Dirigir um carro de rua é diferente de ir numa pista. Na hora que precisa de uma reação, o seu cérebro está habituado com situações de trânsito. Já fiz corridas muito boas. Em dezembro de 2021, durante a ultima etapa que aconteceu no mesmo dia que a Stock Car, eu larguei em 6º e no final da reta oposta já esta em 1º, consegui segurar, não foi fácil, mas venci!

Em Interlagos, existem algumas manhas que se o piloto consegue aprender, isso pode ser fator determinante na hora de conseguir uma volta mais rápida que os demais. “Eu tinha muita dificuldade no S do Senna. Quando comecei a entender melhor a curva, esse primeiro setor se tornou a minha facilidade, pois você ganha em duas retas, a dos boxes e na saída da reta oposta, respondendo por 60% do circuito”, detalha.

Mas claro que um bate papo sobre automobilismo em Interlagos não poderia faltar falar sobre a chuva, ao qual Eber confessou que existia um medo sim, mas que foi superado! “Tinha muita insegurança. Num dia chuvoso, o Juninho [Aldo Piedade Jr], parceiro da Alpie e que já foi piloto da Stock Car, me chamou para passar ensinamentos de pilotagem na chuva. Ele de piloto e eu no motorista foi algo tão simples e tão seguro, que no final de semana que teve corrida com mais de 50 carros, eu fiz o segundo melhor tempo na chuva, coisa que eu não conseguia ficar nem entre os 30 primeiros.”

Questionado, Eber respondeu sem pensar duas vezes que estar mais rápido atrás e conseguir a ultrapassagem é muito melhor para o psicológico do que sustentar a posição da frente. Além disso, como fã de automobilismo, é um prazer gigante pilotar em Interlagos.

“Depois de andar 12 anos aqui e ainda ouço das pessoas que vem correr de fora que pra eles proporcionam uma vivencia única, pois eles pensam: ‘Caramba! Foi aqui que andou Ayrton senna! É aqui que até os pilotos de Fórmula 1 que andam pelo mundo todo elogiam, É uma pista que não basta ter carro rápido, tem trechos de muita técnica”, finaliza Eber Gomes.

A Copa Joy 2022 já chegou ao fim, e como há a categoria Light (azul) e Super (vermelho), confira a classificação final com os resultados abaixo! Mas não desanime! Você ainda pode assistir a corrida extra campeonato de endurance, que acontecerá no dia 10 de dezembro, e faz parte da programação da Etapa da Stock Car em Interlagos, no mesmo final de semana.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.