Cinema Japonês Contemporâneo ganha sessões gratuitas na Cinemateca Brasileira

0
1852
Parceria com a Fundação Japão promove a exibição de seis títulos, de 30 de junho a 9 de julho; ingressos podem ser retirados uma hora antes de cada sessão

Parceria com a Fundação Japão promove a exibição de seis títulos, de 30 de junho a 9 de julho; ingressos podem ser retirados uma hora antes de cada sessão


Entre os dias 30 de junho e 9 de julho de 2023, a Cinemateca Brasileira e a Fundação Japão, apresentam uma seleção de filmes que destaca a força e a variedade do cinema japonês contemporâneo, exibido alguns dos maiores sucessos do país nos últimos anos.

São filmes dirigidos por veteranos como Takahisa Zeze, que constrói um thriller cujo pano de fundo é o Grade Terremoto de Tōhoku em In the Wake (2021), e Tetsu Maeda, com o leve drama familiar And So The Baton is Passed (2021), além de cineastas iniciantes com estilos ousados, como Kohei Yoshino e sua abordagem que mescla live-action e animação para retratar a indústria de animês em Anime Supremacy! (2022). Dois filmes dirigidos por Keisuke Yoshida serão exibidos na mostra, Blue e Intolerance, ambos de 2021 e permeados de situações que exploram a complexidade das relações humanas, enquanto o suspense Lesson in Murder (Kazuya Shiraishi, 2022) revela uma trama de manipulação entre um serial killer e um jovem de seu passado.

Todas as sessões são gratuitas e os ingressos são distribuídos uma hora antes de cada sessão.

CINEMATECA BRASILEIRA
Largo Senador Raul Cardoso, 207 – Vila Mariana

Horário de funcionamento
Espaços públicos: de segunda a segunda, das 08 às 18h
Salas de cinema: conforme a grade de programação.
Biblioteca: de segunda a sexta, das 10h às 17h, exceto feriados

Sala Grande Otelo (210 lugares + 04 assentos para cadeirantes)
Sala Oscarito (104 lugares)
Retirada de ingresso 1h antes do início da sessão


Sexta-feira, 30 de junho, na Sala Grande Otelo

19h – BLUE
Japão, 2021, 107 MIN, COR, 12 ANOS
Direção: Keisuke Yoshida
Elenco: Tokio Emoto, Ken’ichi Matsuyama, Masahiko Higashide, Fumino Kimura
Sinopse: Urita, um boxeador profissional ama o esporte mais do que qualquer pessoa. Mas Kazuki, um boxeador mais novo, é mais talentoso e ainda namora Chika, uma amiga de infância de Urita. Apesar disso, Urita não transparece seus sentimentos negativos e ajuda Kazuki a se preparar para sua luta contra o atual campeão. Enquanto isso, Narasaki começou a praticar o esporte só por diversão, mas vai se envolvendo com o boxe até que decide tentar se profissionalizar. E a luta entre eles se aproxima…

Comentário: Através do boxe, esporte que envolve uma competição brutal, o drama oferece um olhar silencioso e acolhedor sobre a vida, onde nem todos podem sair vencedores. A frustração diante da distância que existe entre o amor pelo esporte e o talento, o medo das sequelas, as relações entre os competidores: os sentimentos não falados transbordam nesta obra vívida do diretor Keisuke Yoshida, baseada em sua própria experiência de mais de 30 anos praticando o boxe. Os personagens são abordados de forma profunda e o público certamente simpatizará com as emoções de Urita, interpretado pelo consagrado Ken’ichi Matsuyama. Keisuke Yoshida tem revelado grandes filmes nos últimos anos e é um dos diretores mais ativos e bem-sucedidos do momento.

Sábado, 01 de julho, na Sala Grande Otelo

16h – AND SO THE BATON IS PASSED (Soshite, Batonwa watasareta)
Japão, 2021, 137 min, cor, 14 anos
Direção: Tetsu Maeda
Elenco: Masachika Ichimura, Kurumi Inagaki, Satomi Ishihara
Sinopse: Miitan, uma estudante emotiva do ensino fundamental que perdeu a mãe biológica, ganha uma nova mãe, Rika. No entanto, o pai de Miitan vai embora para o exterior e o casal se separa. A menina é deixada com Rika, uma mãe excêntrica e com pouco jeito para criar uma filha. Rika cria Miitan com amor, mas, depois de se casar novamente, acaba desaparecendo. Já Yuko é uma estudante do ensino médio e vive com seu padrasto gentil que adora cozinhar. Ela é uma jovem sorridente, mas que enfrenta problemas na escola e no amor. Yuko e Miitan seguem suas vidas normalmente, mas grandes segredos esperam pelas duas.

Comentário: A história do crescimento de Yuko e Miitan e a da enigmática Rika se entrelaçam em um drama comovente e que envolve vários mistérios. O filme é baseado no best-seller de Seo Maiko que ganhou o 1º lugar em uma premiação votada por livreiros. Mei Nagano, que interpreta Yuko, e Satomi Ishihara, que interpreta Rika, estão entre as atrizes mais proeminentes e populares do Japão, sempre com charme deslumbrante e belíssimas atuações. O diretor Tetsu Maeda é conhecido pela qualidade de seus filmes de entretenimento e consegue dar um toque de leveza a uma história emocionante, tendo uma obra vibrante como resultado.

Domingo, 02 de julho, na Sala Grande Otelo

17h – ANIME SUPREMACY! (Haken Anime!)
Japão, 2022, 129 min, cor, 10 anos
Direção: Kohei Yoshino
Elenco: Riho Yoshioka, Tomoya, Nakamura, Tasuku Emoto
Sinopse: Hitomi, que mudou de carreira e passou a trabalhar em um estúdio de animação, levou anos para ascender profissionalmente na empresa e finalmente fará sua tão sonhada estreia como diretora em uma série de animê. Mas para ter uma obra que esteja à altura do que ela espera, Hitomi precisará da cooperação de uma equipe composta de artistas exigentes e teimosos. Por outro lado, o produtor só pensa em negócios e é rigoroso com a novata. E para completar, será exibida, no mesmo horário da série de Hitomi, uma nova produção de Chiharu, diretor famoso e considerado um gênio. Ela, então, é pressionada por todos os lados, mas Chiharu, que parece tão confiante, também sente o peso das expectativas que recaem sobre ele.

Comentário: Nesta história emocionante, o público é apresentado aos bastidores da produção de animês, o que requer a dedicação de uma grande equipe. O universo das animações dos dois diretores transborda personalidade, fazendo com que um filme com atores reais consiga transmitir toda a graça dos animês. O duelo entre Hitomi, a diretora esforçada que enfrenta diversas dificuldades, e Chiharu, o gênio admirado por todos, ganha vida com as atuações de Riho Yoshioka e Tomoya Nakamura, dois atores populares que representam a nova geração. Outro destaque é a participação de alguns dos melhores criadores da indústria, animadores da Production I.G., nas cenas dos animês que compõem o filme.

Sexta-feira, 07 de julho, na Sala Grande Otelo

18h – LESSON IN MURDER (Shikeini itaru Yamai)
Japão, 2022, 128 min, cor, 16 anos
Direção: Kazuya Shiraishi
Elenco: Sadao Abe, Shimako Iwai, Takanori Iwata, Miho Nakayama
Sinopse: O universitário Masaya recebe uma carta inesperada. O remetente é Haimura, um detento que chocou a sociedade por seus crimes como assassino em série. No passado, Haimura tinha uma padaria e sequestrava clientes do ensino médio para assassiná-los de forma cruel. Mas, para Masaya, que na época era um estudante solitário do fundamental, o homem era alguém gentil e que o consolava. Haimura confessa seus crimes, mas diz que uma das mortes não foi obra sua e pede que Masaya investigue o caso. Masaya hesita, mas aceita a tarefa e, aos poucos, se aproxima da impactante verdade.

Comentário: O thriller surpreendente retrata um jovem que não consegue ignorar as palavras de um assassino e confronta grandes mistérios. Quem interpreta o assassino que se aproxima gentilmente dos jovens para depois cometer atos repulsivos é Sadao Abe, que atua brilhantemente em uma diversidade de títulos, de comédias a filmes mais sérios. Seus olhos abrigam uma loucura que faz o público sentir calafrios. Kenshi Okada é um ator cuja fama cresce a cada dia e que vem acumulando grandes obras em seu currículo. Já o diretor Kazuya Shiraishi, que está em sua melhor fase, é conhecido pela habilidade de retratar o lado obscuro da alma humana de forma impiedosa.

Sábado, 08 de julho, na Sala Grande Otelo

13h – IN THE WAKE (Mamorarenakatta monotachie)
Japão, 2021, 135 min, 14 anos
Direção: Takahisa Zeze
Elenco: Hiroshi Abe, Mitsuko Baisho, Takeru Satoh
Sinopse: Em 11 de março de 2011, no Japão, aconteceu o Grade Terremoto da Região de Tōhoku. O resultado foi um número de vítimas sem precedentes. Os sobreviventes se ajudam no abrigo temporário, onde um jovem e uma menina solitários são acolhidos pela gentileza altruísta de uma senhora e os três formam uma família. O tempo passa e um detetive precisa investigar um caso incomum de homicídio. Esse detetive viveu no mesmo abrigo que os garotos e a senhora na época do desastre e o destino desses personagens se cruzará novamente.

Comentário: A obra que mistura mistério e drama acontece em torno da investigação de um caso de homicídio e tem como pano de fundo o Grande Terremoto de 2011, que deixou profundas cicatrizes nos japoneses até os dias de hoje. Mas o filme também faz uma crítica social que expressa a indignação dos mais fracos em relação à sociedade cruel. Takeru Sato, que se tornou uma grande estrela com ótimos filmes de ação e Hiroshi Abe, que se destaca em diversos gêneros, da comédia ao drama, e desfruta de grande popularidade e talento, dedicam-se de corpo e alma em seus papeis mais sérios nesta obra. Zeze Takahisa possui um currículo que inclui desde filmes de entretenimento até filmes de arte e é um dos diretores que representa o cinema japonês na atualidade.

Domingo, 09 de julho, na Sala Grande Otelo

15h – INTOLERANCE (Kuhaku)
Japão, 2021, 107 min, cor, 16 anos
Direção: Keisuke Yoshida
Elenco: Kisetsu Fujiwara, Aoi Ito, Tori Matsuzaka
Sinopse: Um pescador ranzinza vive com a filha, uma estudante do ensino fundamental. A garota apresenta um comportamento suspeito em um supermercado e é abordada pelo gerente, mas, ao tentar fugir do local, é atropelada e morre. Furioso, seu pai enlouquece e aterroriza a escola e o gerente do mercado. O gerente tem certeza de que a garota estava roubando, mas continua se desculpando pelo ocorrido. Aos poucos, o gerente, o motorista que causou o acidente e até o pai, que não dava muita atenção à garota, são pressionados até o limite.

Comentário: A obra retrata meticulosamente a psicologia e as ações de pessoas em situações extremas e seu desfecho é impressionante. O drama incomum trata de assuntos sublimes que questionam o perdão e a cura. O roteiro escrito por Keisuke Yoshida, diretor de grandes filmes nos últimos anos, foi premiado em renomados festivais japoneses. As atuações ganham credibilidade com o terror causado pelo pai, interpretado por Arata Furuta, que atua principalmente no teatro, e com o vazio carregado pelo gerente, interpretado por Tori Matsuzaka, um dos principais atores da nova geração.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.