Capital promove ações voltadas à preservação e conscientização sobre descarte correto de lixo

0
1094

A Prefeitura de São Paulo promoverá, entre os dias 12 e 17, uma série de eventos para celebrar o Dia Mundial da Limpeza (World Clean Up Day), comemorado no terceiro sábado de setembro e que está em sua quinta edição, quando todo o mundo se unirá para fazer uma faxina no planeta. Por meio da Secretaria Municipal das Subprefeituras (SMSUB) foi programada uma semana de ações intensificadas com o propósito de conscientizar a população, atrair voluntários e mitigar a poluição ambiental.

O evento se inspirou em uma ação coletiva, que aconteceu em 2008, na Estônia, quando 50 mil pessoas se reuniram para limpar o país. Apesar de representarem 4% dos moradores, a atividade foi concluída em cinco horas. Assim, o Let’s Do It (Vamos Fazer Isso – em tradução livre), tornou-se um marco e uma referência para o mundo.

As ações de limpeza que acontecem na capital estão incorporadas no dia a dia da cidade mas, de 12 a 17 de setembro, ganharão esse caráter de chamar a atenção para o descarte irregular. A gravidade desse problema se reflete em números robustos. Nos três primeiros meses de 2022 foram coletadas 35 mil toneladas de resíduos descartados irregularmente nas ruas da cidade. Atitudes como esta podem obstruir as redes de esgoto, além de aumentar os gastos com limpeza urbana. O acúmulo de lixo também contribui para a proliferação de doenças associadas ao descarte incorreto, elevando os gastos também com a saúde pública.

O descarte de produtos químicos e tóxicos por indústrias é ainda mais nocivo. Essa prática pode prejudicar o solo e os lençóis freáticos, levando à contaminação e poluição dos rios e da terra. Destrói a fauna e flora local e estimula a transmissão de doenças, hipersensibilidades alérgicas, disfunção hepática e renal ou até câncer, podendo, inclusive, provocar a infecundidade das pessoas.

As atividades foram programadas pela Secretaria Executiva de Limpeza Urbana (SELIMP), em parceria com o Instituto Limpa Brasil, as 32 subprefeituras da capital e seis empresas responsáveis pela coleta de resíduos na cidade. Confira a grade abaixo:

Dia 12/9 – Ação de limpeza em pontos turísticos
Dia 13/9 – Limpeza de pontos viciados de descarte irregular
Dia 14/9 – Divulgação sobre as funcionalidades dos Ecopontos
Dia 15/9 – Limpeza em marginais/grandes vias e endereços dos mutirões de limpeza.
Dia 16/9 – Divulgação dos endereços dos mutirões
Dia 17/9 – Mutirões de limpeza e revitalização de pontos viciados de descarte.

Ecoponto e Cata-bagulho

São Paulo é a cidade que mais produz lixo no país. Destinar essa produção para o descarte correto e assim evitar contaminação, poluição e afins, é seu principal objetivo. Para isso a administração municipal desenvolveu programas como Ecoponto e Cata-bagulho, visando justamente a reciclagem e o reaproveitamento. Ambos foram elaborados para apoiar um destino ecologicamente correto sobre o que não tem mais utilidade para quem descarta.

No Cata-Bagulho foram recolhidas 31,2 mil toneladas de resíduos nas operações entre janeiro e julho deste ano. O serviço ocorre em todas as ruas da cidade, pelo menos uma vez por mês. No site de cada subprefeitura é possível encontrar os endereços, datas e horários da operação. Para verificar, basta o munícipe inserir o endereço ou Código de Endereçamento Postal (CEP) no campo indicado e as datas serão informadas.

Nos Ecopontos, São Paulo coleta mais de 441 mil toneladas de lixo por ano. A Prefeitura disponibiliza este tipo de espaço urbano para o descarte de até 1m³ de obra, grandes objetos (móveis, sofás, etc.), poda de árvore e resíduos recicláveis. Na capital, são 122 unidades com atendimento diário, inclusive aos domingos e feriados.

A atuação permanente de limpeza urbana trouxe impacto positivo: o número de pontos viciados na cidade de São Paulo diminuiu nos últimos anos. Em 2016 eram 4 mil e hoje são cerca de 1210. O descarte irregular de material está sujeito a multa de até R$19.203,07 no caso de lixo domiciliar e pode chegar a 70 mil reais quando a ação é de caçambeiros. Nos dois casos, se trata de crime ambiental.

São Paulo também tem aproximadamente 145 mil lixeiras para o descarte correto de embalagens, garrafas de água e papéis, entre outros materiais. Por mês, são varridos mais de 225 mil quilômetros de vias e calçadas.

São números que revelam atenção e cuidado. Mas a limpeza pública é uma atitude coletiva e de comprometimento social. Cada um tem um enorme poder transformador para uma cidade ambientalmente mais amigável.

Fonte: EBC


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.