Câmara aprova projeto da Prefeitura que planeja vender terrenos públicos na Zona Sul

0
170

A maioria dos terrenos estão localizados nos bairros do Itaim Bibi, Vila Olímpia, Vila Nova Conceição e Moema, e alguns funcionam até como escolas de ensino fundamental. Na periferia também existe a intenção de privatizar terrenos públicos, como a área onde está localizada a Subprefeitura Campo Limpo, que tem 52 mil m²


A Câmara dos Vereadores de São Paulo aprovou um projeto de lei, de autoria da Prefeitura, que autoriza a venda de 41 terrenos públicos municipais. Todos os locais juntos têm cerca de 300 mil m², o que equivale a 40 campos de futebol, e, segundo a Prefeitura, vai arrecadar aos cofres municipais cerca de R$ 600 milhões.

O projeto original apresentado aos vereadores, e que foi aprovado em primeira votação, tinha apenas sete terrenos para venda, localizados nos seguintes endereços:

Área 1: Rua Henrique Schaumann, Pinheiros | Valor: R$ 2.551.948,00

Área 2: Rua José Gonçalves de Oliveira X Avenida Faria Lima, Itaim Bibi | Valor: R$ 10.700.000,00

Áreas 3:  Rua Coronel Lisboa X Rua Dr. Diogo de Faria, Vila Mariana | Valor: R$ 6.900.000,00

Área 4: Rua Dr. Diogo de Faria, Vila Clementino | Valor: R$ 10.600.000,00

Área 5: Travessa Doutor Raymundo Gomes Carneiro, Pinheiros | Valor: R$ 5.279.634,00

Área 6: Rua Baluarte, Vila Olímpia | Valor: R$ 44.439.571,00

Área 7: Rua Atambaré, Vila Medeiros | Valor: R$ 1.204.792,00

Mas, durante a segunda votação, a liderança da Câmara apresentou um texto substituto ao primeiro, incluindo mais de 30 imóveis no pacote de comercialização. Alguns vereadores se posicionaram contra o acréscimo de mais imóveis no projeto, pois não tiveram tempo de visitar os locais e analisar a necessidade de uso dessas áreas. “Muitos deles [imóveis] nós não conseguimos saber onde ficam porque não deu tempo de localizá-los, fazer algum tipo de vistoria para avaliar se é o caso de vendê-los. Alguns desses terrenos poderiam não ser vendidos e serem utilizados como equipamento público”, afirmou o vereador Alfredinho (PT).

Esses terrenos estão espalhados por toda a cidade com uma concentração maior em bairros nobres da Zona Sul, locais que são mais disputados pelo mercado imobiliário, como Itaim Bibi, Vila Olímpia, Vila Nova Conceição e Moema.

Algumas dessas áreas são ocupadas por serviços públicos e têm até escolas, como na Rua Baluarte, 162 – na Vila Olímpia, onde funciona a EMEF Profª Maria Antonieta D’Alkimin Basto.

Em um imóvel na Rua da Consolação também funciona uma EMEI e, na Rua Henrique Schaumann, em Pinheiros, existe um Núcleo de Convivência do Idoso.

Nos bairros mais afastados, os terrenos são maiores, como a área onde está localizada a Subprefeitura Campo Limpo, que tem 52 mil m².

Outra alteração foi feita já que as Comissões de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente e de Finanças e Orçamento sugeriram que o endereço da Área 6 fosse extraído da proposta original e se incluísse uma área localizada entre a Rua Guerra Junqueiro e a Avenida das Nações Unidas, em Pinheiros, no valor de R$ 6.404.814,00.

Segundo a Prefeitura, os terrenos ainda passarão por análise antes de serem colocados à venda em definitivo. Apesar da aprovação dos vereadores, para o projeto seguir como lei, é necessário a sanção do prefeito Bruno Covas.


FALE COM A REDAÇÃO
Sugestões de pauta, envie email para: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.