“Beco do Assalto”, perto da Estação Campo Belo, gera medo entre moradores e pedestres

0
406

No local, cartazes “agradecem”: “Metrô, obrigado por criar o beco do assalto”. O beco foi aberto após fechamento de uma rua, e para facilitar o acesso de pedestres a Estação e para a Av. Jornalista Roberto Marinho


Desde que a Linha 17-Ouro do metrô começou a ser construída, já gerou muitos problemas para quem mora e transita pelos bairros do Brooklin e Campo Belo: mudanças constantes no trânsito, atraso nas obras, desapropriação de casas e, agora, assaltos.

Uma das mudanças, inclusive, foi o fechamento da Rua Nelson Líbero, que fica perto da Estação Campo Belo, entregue em abril do ano passado. Após o fechamento da rua, foi instalado um beco, a pedido da CET, para facilitar o acesso de pedestres a Estação e para a Av. Jornalista Roberto Marinho.

Cartaz “agradece” ao Metrô

O local, porém, se transformou no “Beco do Assalto”, com cartazes que avisam os pedestres dos perigos de andar por ali. Os cartazes mostram setas e alertam: “assalto aqui”. Outro cartaz “agradece” ao metrô: “Metrô, obrigado por criar o beco do assalto”. O local, divisa com a Rua Arizona, é muito estreito, apenas uma pessoa consegue caminhar.

“Eu só passo aqui acompanhada de algumas pessoas e, se eu estiver sozinha, eu evito passar. Ou vou por baixo, pela Av. Roberto Marinho ou pela Rua Michigan, que é um caminho mais longo, mas me garante segurança”, disse uma pedestre.

As casas e condomínios da rua tem câmeras de segurança, inclusive uma guarita, o que não intimida os assaltantes. Uma câmera de segurança mostra, no dia 9 de janeiro, por volta das 15h30, um homem parado na rua. Quando uma mulher surge do beco, ele a aborda para assaltar. As imagens não mostram nitidamente mas, aparentemente, o homem carrega uma faca e é bem agressivo.

No último dia 5, o beco foi fechado pelo Metrô. Os funcionários do Metrô também retiraram os cartazes que indicavam o local como “Beco do Assalto”.

Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública, em 2019, a 27º DP Campo Belo registrou 966 roubos. A maioria das ocorrências (101), aconteceu em agosto.

CONCLUSÃO LINHA 17-OURO

Em janeiro, o Governo de São Paulo assinou o contrato para retomada das obras das estações Aeroporto de Congonhas, Jardim Aeroporto, Brooklin Paulista, Vereador José Diniz, Campo Belo, Vila Cordeiro e Chucri Zaidan, além do Pátio Água Espraiada.

As obras estavam paradas desde outubro de 2019 por problemas entre as construtoras envolvidas. O governador João Doria (PSDB) informou que até 2022 será entregue o trecho prioritário da linha, ou seja, as estações.


FALE COM A REDAÇÃO
Sugestões de pauta, envie email para: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.