Av. Brigadeiro Faria Lima é a 3ª via que mais registrou acidentes com ciclistas em 2019

0
147

No ano passado, a capital paulista registrou mais de 600 acidentes com ciclistas. Uma pesquisa sobre mobilidade urbana revela que nos próximos 10 anos o uso da bicicleta vai aumentar em 47% e a utilização do carro vai diminuir em 28%


Em 2019, aconteceram 635 acidentes com vítimas, envolvendo ciclistas, na cidade de São Paulo. Isso significa quase dois acidentes por dia. Das 1.029 ocorrências que aconteceram na Grande SP, 67% delas foram na capital.

Dados do InfosigaSP, Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo, revelam que desses 635 acidentes com vítimas, 462 aconteceram em vias municipais ou rodovias dentro da cidade de São Paulo. A via que mais registrou acidentes (10) foi a Av. Inajar de Souza, na Zona Norte.

Em seguida estão no ranking: Marginal Pinheiros e Tietê (9 acidentes) e as Avenidas Brigadeiro Faria Lima (8), Marechal Tito (7), Sapopemba (7), Rebouças (6), Celso Garcia (5), Imirim (5), Prof. Luiz Ignácio de Anhaia Mello (5) e São João (5).

Até 2018, os dados do InfosigaSP disponibilizavam informações coletadas apenas dos boletins da Polícia Civil. Mas, no ano passado, teve início a coleta de dados sobre acidentes de trânsito com vítimas a partir de informações de boletins de ocorrência da Polícia Militar, Bombeiros e polícias rodoviária estadual e federal, com o objetivo de “identificar locais com concentração de acidentes com vítimas, fatais ou não”.

Apenas em janeiro deste ano, subiu 24% o número de acidentes envolvendo ciclistas, em todo o Estado de São Paulo.

Segundo a CET, está em planejamento “uma expansão da estrutura de vias para ciclistas, em parte com o objetivo de reduzir os acidentes”. Também informaram que oferecem “um curso grátis (presencial ou distância) para ciclistas que queiram pedalar com segurança, mas que atualmente tem demanda além da capacidade”.

O FUTURO DA MOBILIDADE

Uma pesquisa sobre mobilidade urbana, da consultoria global Kantar, revela que nos próximos 10 anos o uso da bicicleta vai aumentar em 47% e a utilização do carro vai diminuir em 28%. Também vai crescer em 10% a quantidade de pessoas que utilizam o transporte público e em 25% o número de pessoas que vão caminhar, ao invés de utilizar um meio de transporte.

“A pesquisa descobriu que 40% das pessoas em todo o mundo estão abertas a adotar novas soluções inovadoras, mas nem todas as cidades estão prontas para a transformação da mobilidade”, comentou Luciana Pepe, diretora de contas da Kantar no setor automotivo.

De acordo com a pesquisa, por causa da demora em investir na infraestrutura da capital paulista, a população vê com pessimismo o futuro da mobilidade na cidade de São Paulo. Assim, “São Paulo pontua pobremente no índice de cidades prontas para a tecnologia” da mobilidade urbana, indica a pesquisa.


FALE COM A REDAÇÃO
Sugestões de pauta, envie email para: [email protected]

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.