Temporal provoca estragos na cidade de São Paulo

1
605

Córregos transbordaram, árvores caíram, grandes avenidas ficaram completamente congestionadas, um shopping e estações da Linha 5-Lilás também alagaram

 

O temporal que atingiu a cidade de São Paulo na última quarta-feira (17) causou estragos para muitas pessoas. Na capital, os ventos atingiram 76 km/h, próximo ao Aeroporto de Congonhas, com registro de 1152 raios na cidade.
Na Zona Sul, o maior nível de chuva foi registrado na região do M’Boi Mirim, com 65mm de chuva em duas horas. No Jabaquara o registro foi de 61,5 mm e em Santo Amaro, foram cerca de 46,2 mm de chuva.
Em Santo Amaro, na Rua Brasílio Luz, a água subiu tanto que inundou o térreo de um prédio e os moradores se juntaram para puxar a água.
A Av. Vitor Manzini, no Largo do Socorro, ficou completamente alagada e com muita lama. Muitos carros quebraram e os semáforos pararam de funcionar. Agentes da CET e da SPTrans auxiliaram os motoristas e pedestres. Por volta das 19h, o estado de atenção para alagamento já havia sido suspenso. Até a manhã de hoje (18) os semáforos ainda não funcionavam.
Largo do Socorro ficou com muita lama e carros quebrados
Na Av. Atlântica, por volta das 18h30, nenhum ônibus conseguia se movimentar e a fila de veículos se estendia por toda a via. Muitas pessoas preferiram fazer o trajeto a pé, devido o grande congestionamento.
Congestionamento na Av. Atlântica
No Brooklin, a Av. Chucri Zaidan também alagou e muitos motoristas e motoqueiros subiram na calçada para seguir o trajeto, dividindo espaço com os pedestres que tentavam seguir.
Por volta das 17h30 da tarde, um muro de um condomínio desmoronou e atingiu três carros e duas motos na Rua Tapuçu, no Jardim Marajoara, próximo a Av. Interlagos e Av. Nossa Senhora de Sabará. Ninguém se feriu.
Muro cai em cima de carros próximo a Av. Nossa Senhora de Sabará
No Jardim Ângela, uma árvore também caiu em cima de um muro atingindo a rede elétrica e algumas casas. O Corpo de Bombeiros passou a madrugada tentando retirar a árvore e, até a manhã desta quinta-feira (18), a Rua Martinho Jacob Kremer, próximo a Av. Guarapiranga, estava sem energia.
Dois importantes córregos da Zona Sul transbordaram: o córrego Ipiranga, na Praça Leonor Kaupa e o córrego Zavuvus, na Av. das Nações Unidas; o Shopping SP Market, que fica próximo dali, também ficou alagado.
Nas redes sociais, há registros de alagamentos na estações Adolfo Pinheiro e Chácara Klabin da Linha 5-Lilás. O Consórcio ViaMobilidade informou que “em função do grande volume de chuva na região de Santo Amaro na tarde desta quarta-feira (17), a água vinda das ruas do entorno da estação Adolfo Pinheiro atingiu o poço de alívio de ventilação situado na calçada e atingiu o interior do prédio, causando a interdição parcial da plataforma de embarque e desembarque. Por isso, houve restrição de velocidade na circulação de trens neste trecho. Após a atuação da equipe de higiene a operação foi rapidamente restabelecida”.
Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura, nesta quinta-feira (18) “as máximas podem chegar aos 28ºC, enquanto a umidade relativa do ar deve permanecer acima dos 55%. Entre o final da tarde e a noite a propagação de áreas de instabilidade, associadas com a aproximação de um sistema frontal pelo oceano, deve provocar chuvas na forma de pancadas. Podem ocorrer pontos de maior intensidade com raios e rajadas de vento, o que em conjunto com o solo que já se encontra encharcado, aumenta o potencial para formação de alagamentos, queda de árvores e deslizamentos de terra na capital paulista”.
- Patrocinado -

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.