São Paulo cai para 23º em ranking de saneamento básico

0
160

A cidade de São Paulo caiu três posições e ocupa o 23° lugar no ranking de saneamento feito pelo Instituto Trata Brasil, em parceria com a GO Associados. A pesquisa, feita nas 100 maiores cidades do Brasil, usa dados coletados em 2015 e 2016.

O nível de tratamento de esgoto aumentou de 52% para 62%, porém, a perda de água, que é distribuída pela Sabesp, também teve um aumento de 31% para 36% neste período. Isso significa que um terço da água potável não chega onde deveria.

No Brasil, apenas 51% da população tinha acesso a coleta de esgoto em 2016, e apenas 44,9% desse esgoto era tratado. “Se considerarmos que não chegamos nem nos 50% de atendimento, estamos falando de mais de 50 anos [para universalizar]. Isso é inaceitável. É muito tempo para ter essa estrutura tão essencial, que é a do saneamento”, diz Édison Carlos, presidente executivo do instituto Trata Brasil.

O Estado de São Paulo tem 21 obras de saneamento paralisadas, segundo relatório divulgado pela Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental, do Ministério das Cidades em março deste ano. As obras são de ampliação da rede de abastecimento de água, combate a enchentes e esgotamento sanitário.

Segundo a Sabesp, mais de 40% do dinheiro investido em obras de saneamento nas 27 capitais brasileiras foi aplicado pela Sabesp na cidade de São Paulo. e cerca de R$ 9,1 bilhões foram investidos pela concessionária, na capital paulista, entre 2012 e 2016.

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.