Reforma do viaduto da Marginal Pinheiros deve terminar em maio, com custo de R$ 30 milhões

0
54

Segundo a Prefeitura, caso fosse construído um novo viaduto, o gasto seria de R$ 70 milhões e levaria quase três anos para ficar pronto

 

Mais de um mês depois da queda de 2 metros do viaduto da via expressa da Marginal Pinheiros, a Prefeitura apresentou um plano de obras para recuperação do viaduto. A reforma deve durar cinco meses, terminando apenas em maio de 2019. O custo será de aproximadamente R$ 30 milhões, valor quase cinco vezes mais caro do que a quantia investida na manutenção dos viadutos da capital desde 2014.
Desde janeiro de 2014, a Prefeitura investiu cerca de R$ 6,1 milhões, segundo um levantamento feito com base na Execução Orçamentária e Financeira da Prefeitura, e atualizado pela Secretaria Municipal da Fazenda.
Segundo a Prefeitura, caso fosse construído um novo viaduto, o gasto seria de R$ 70 milhões e levaria quase três anos para ficar pronto. A reestruturação foi dividida em 3 etapas: reforma de 2 pilares, reparo da viga e reparo do tabuleiro (a área central do viaduto).
“A escolha da remediação é mais barata, mais rápida e não há nenhum comprometimento do ponto de vista da segurança para o usuário”, disse o prefeito Bruno Covas.
Até agora foi feito o escoramento de 120 metros dos 200 metros que a estrutura tem; foi construído um pilar provisório e um bloco de reação, que dá sustentação aos macacos hidráulicos.
As causas do incidente ainda não foram descobertas e segundo o secretário de Serviços e Obras da Prefeitura, Vitor Aly, uma combinação de fatores explicam o incidente. “Existem defeitos ocultos que não são visíveis nas vistorias. A obra mais importante é a que mais traz atenção e tempo é o reparo do tabuleiro”, disse.
Em novembro, a Prefeitura abriu uma licitação para contratar empresas que façam manutenção em 33 viadutos e pontes da capital. Dos 33 viadutos, nove deles estão na Zona Sul.
- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.