Novas estações da Linha 5 – Lilás mudam o fluxo de pessoas que utilizam o metrô na Zona Sul

0
544

O fluxo de passageiros dobrou na linha Lilás indo de 231 mil pessoas para 463 mil, diariamente

 

Desde que foram inauguradas as novas estações da Linha 5 – Lilás do Metrô, o fluxo de passageiros na linha aumentou, como já era esperado. Segundo o Metrô, agora o dobro de pessoas frequenta a linha que liga o extremo da Zona Sul até o centro da cidade, passando por importantes bairros, como Campo Limpo, Santo Amaro, Alto da Boa Vista, Moema, além de hospitais da região.
Antes da inauguração da estação Santa Cruz, que faz a ligação com a Linha 1 – Azul, a média diária na linha foi de 231 mil pessoas e, entre os dias 15 e 19 de outubro, o fluxo de pessoas foi de 463 mil, diariamente. Apenas na estação Santa Cruz, o crescimento foi de 62 mil embarques, em setembro, para 105 mil embarques na primeira semana de horário comercial da estação. Ou seja, o crescimento foi de 69%.
Enquanto na Linha Lilás o fluxo aumentou para, aproximadamente, 200 mil pessoas, na Linha 2 – Verde, que dá acesso à região da Av. Paulista, o aumento foi de quase 50 mil viagens diárias. Em média, o crescimento foi de 701 mil pessoas, em agosto, para 750 mil pessoas em outubro. Na Chácara Klabin, estação que liga a linha 2 – Verde com a linha 5 – Lilás, o aumento foi ainda maior: de 547%, indo de 7.400 passageiros por mês, para 47 mil passageiros mensalmente.
Para quem vai da Paulista até Santo Amaro, a viagem ficou cerca de 30% mais rápida. Quem antes usava a Estação Pinheiros, na Linha 4 – Amarela, para chegar ao centro, sentiu uma redução de 14% no fluxo de pessoas.
Ainda não é possível saber se esse aumento de passageiros são pessoas que passaram a frequentar a Linha Lilás, ou se são usuários antigos que apenas trocaram estações. A ViaMobilidade disse que “está avaliando a evolução da demanda e adequando a estrutura operacional conforme a necessidade”.
- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.