Maçonaria paulista é homenageada pelo 4° Batalhão de Infantaria do Exército

0
764

No dia 11 de abril, o 4° Batalhão de Infantaria Leve do Regimento Raposo Tavares, em Osasco, comemorou 95 anos de existência. No dia 6 de abril foi realizada uma cerimônia de celebração.

“O nosso 4° Batalhão de Infantaria Leve é uma importante tropa do nosso Exército por compor a brigada de emprego estratégico do Exército. Ou seja, a unidade se prepara para atuar e ser lançada em qualquer parte do nosso país, ou fronteira, em que haja necessidade de emprego de força armada. É uma tropa de aeromóvel, ou seja, ela tem um preparo para ser utilizada como desembarque de helicópteros, e além de tudo, fazemos uma série de adestramentos em toda parte do país, seja na selva, no pantanal, na caatinga”, disse o General de Divisão Eduardo Diniz, Comandante da 2ª Divisão de Exército.

Diversos profissionais de vários setores da sociedade foram homenageados durante a cerimônia, inclusive representantes da maçonaria paulista. “O Batalhão Raposo Tavares está envolvido numas das áreas mais importantes do Exército Brasileiro. Você ser homenageado como amigo desse batalhão do Exército, traz uma satisfação muito grande, e eu entendo que isso é de uma importância que leva ao orgulho. Isso, é para mim e para todos os maçons que eu represento, como Grão Mestre do Grande Oriente de São Paulo”, disse Kamel Aref Saab, Grão Mestre do Grande Oriente de São Paulo.

Nos últimos anos, a maçonaria brasileira vem se integrando as ações do Exército do Brasil, assim como diversos setores da sociedade. Para o Grão Mestre do Grande Oriente de São Paulo, isso vem acontecendo devido ao respeito e crenças semelhantes das duas instituições.

“Duque de Caxias, que era o patrono do Exército Brasileiro, foi um dos maçons mais importantes que já tivemos. A integração entre a maçonaria e o exército brasileiro é grande. Os maçons acreditam e respeitam a família, Deus e a pátria. E o Exército, para nós, é a pátria. Então, nós acabamos exercendo, junto com o Exército, um sistema dentro da maçonaria, de educação, respeito, hierarquia. Então, há uma proximidade muito grande, que deixa os maçons satisfeitos em saber que uma das armas do país usa a seriedade e a proteção que transmite à todo o povo, e a maçonaria uma crença no respeito à pátria e a todos os direitos que levam a crer na formação de uma sociedade”, afirma.

Kamel Aref Saab, Grão Mestre do Grande Oriente de São Paulo e Alexandre Oliver Pompeu, vice-presidente do Instituto de Lideranças Empresariais de SP

Para o Comandante da 2ª Divisão de Exército, a instituição não pode estar apartada da sociedade, por isso deve conhecer todas as áreas. “Hoje nós tivemos aqui uma série de homenagens, inclusive para a maçonaria e isso é importante porque o Exército serve a sociedade, e não pode fazer isso estando apartado dela. Por conta disso nós temos que estar junto dos desembargadores, dos profissionais do esporte, do poder Executivo e Legislativo da cidade de Osasco, de todos que foram homenageados. Porque, para trabalhar em prol da sociedade, nós temos que conhecer e saber tudo o que a sociedade exige”, comentou.

- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.