Em iniciativa pioneira, morador santamarense leva idosos para fazer passeios em “triciclo acessível”

0
610

A ideia surgiu na Dinamarca e já atraiu voluntários em 37 países. Aqui no Brasil, moradores idosos da Zona Sul fazem passeios há um ano

 

Em 2012 na Dinamarca, surgiu um movimento que modificou a vida de muitas pessoas. O “Cycling Without Age” procura ajudar idosos e pessoas que tem mobilidade reduzida a voltar a andar de bicicleta. Mas, não em uma bicicleta comum. Um triciclo acessível, conhecido como trishaws, que atendesse as necessidades deles e os fizessem ter momentos agradáveis.
No Brasil esse movimento já existe e é conhecido como “Pedalando Sem Idade”. A iniciativa chegou por aqui em 2015 quando Aldo Nakamura, morador de Santo Amaro, assistiu um vídeo de apresentação do movimento dinamarquês e decidiu fazer o mesmo.
“Eu consegui uma licença para trabalhar e trazer a iniciativa para o Brasil. Eu pedi ajuda para entidades, e uma delas, a Aromeiazero, me ajudou com a legalização. O triciclo chegou em 2017 como uma doação de uma entidade dinamarquesa”, explica Aldo, que sempre gostou de pedalar e fazer trabalhos voluntários.
Há um ano com o triciclo em mãos, Aldo vai até casas de repouso da Zona Sul para oferecer passeios para os moradores idosos. Atualmente ele atende moradores de uma casa na Rua Verbo Divino, na Chácara Santo Antônio, e faz os passeios no Parque Severo Gomes, na Granja Julieta. “Em um ano já fiz 80 passeios, com 340km percorridos. Geralmente vamos aos finais de semana. Pra mim é bem prazeroso, e pra eles também. Eles gostam de conversar e ter atenção”, afirma.
O projeto aceita voluntários (pilotos) para conduzir os triciclos em passeios. Mais informações, acesse: http://pedalandosemidade.com.br/
- Patrocinado -

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.