Grupo Sul News

Distrato de imóvel persiste e pode virar pesadelo na Justiça

Balanços de construtoras sobre o período de janeiro a março deste ano mostram que os distratos de imóveis na planta ainda não deram trégua

Os primeiros balanços de construtoras referentes ao período de janeiro a março deste ano mostram que os distratos de imóveis na planta (os cancelamentos dos contratos de compra) ainda não deram trégua, principalmente no segmento de médio e alto padrão.

Para tentar minimizar o prejuízo, construtoras pleiteiam junto ao governo uma nova regulamentação para os distratos. Uma proposta que está sendo discutida no Congresso é que as empresas retenham o sinal pago mais 20% das parcelas já desembolsadas, desde que o montante não supere 10% do valor do imóvel.

Falhas de gestão

Especialistas no assunto afirmam que, na visão de algumas empresas, há quem tenha comprado um imóvel para investimento e, ao não ver a valorização esperada, desistiu do negócio. O Pesquisador da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), Eduardo Zylberstajn afirma que a melhora para o setor deve vir apenas em 2018, com a recuperação da economia e a retomada da confiança. Ele não se posiciona sobre a mudança nas regras para distratos, mas diz que o mercado imobiliário está aprendendo com a crise. “Apesar disso, os preços caíram relativamente pouco”. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: exame.com

Adicionar comentário