Grupo Sul News

Campanha de vacinação fracionada contra a febre amarela é antecipada para 25 janeiro

A campanha de vacinação fracionada contra a febre amarela foi adiantada em 1 semana em relação a data prevista anteriormente, que seria dia 3 de fevereiro. Agora a campanha deve começar no dia 26 de janeiro e termina dia 16 de fevereiro, de acordo com um anúncio feito pelo Governador Geraldo Alckmin,na última quinta-feira (18).

A medida foi tomada devido ao crescimento de casos de vítimas da doença em São Paulo, e outros Estados do Brasil. A intenção é vacinar 2,5 milhões de pessoas na capital.

Em entrevista dada ao Grupo Sul News, a coordenadora do núcleo de doenças transmitidas por vetores e outras zoonoses da Coordenação de Vigilância em Saúde (Covisa) Vivian Ailt, explica que “a febre amarela é uma doença aguda que as pessoas têm febre bem alta e contínua, com uma duração máxima de 7 dias. Além de dor no corpo, mal-estar, náuseas e vômitos. Alguns pacientes, depois dessa fase evoluem para a cura. Outros tem uma aparente melhora de 24 a 48 horas, em que a febre pode desaparecer e o mal-estar diminuir e depois a febre volta e fica mais grave, em que pode ter sangramento e pele amarelada”.

No dia 16, a Organização Mundial da Saúde colocou o Estado de São Paulo dentro da área de risco da febre amarela. Apenas em 2018, mais de 10 pessoas já morreram vítimas da doença.

“O que a gente tem no momento é a febre amarela silvestre, transmitida pela picada do mosquito Haemagogus e Sabethes, que existe mais em copas de árvores, locais com mata. Existe uma possibilidade de transmissão pelo Aedes aegypti, que caracterizaria a febre amarela urbana, que a gente não tem no Brasil desde 1942. A possibilidade [de surgir a urbana] não é zero, mas ela é baixa porque os casos que estão ocorrendo são pessoas que frequentaram áreas de mata”, explica Vivian.

Desde que foram relatados os casos de morte, as Unidades Básicas de Saúde da capital amanhecem com filas gigantescas, com pessoas que esperam receber a dose da vacina.

Em nota a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo afirmou que “neste momento, a campanha de vacinação da febre amarela tem como público-alvo todos os distritos da Zona Norte, onde 90 UBS estão aplicando a vacina para população que reside ou trabalha na região; três distritos da Zona Sul (Parelheiros, Marsilac e Jardim Angela), além de parte do Capão Redondo (referência da UBS Luar do Sertão); e na zona Oeste apenas os moradores do distrito Raposo Tavares, onde três postos estão vacinando contra a doença.
As demais unidades que aplicam a vacina da febre amarela são de referência para viajantes e estão destinadas a aplicar a vacina para quem vai viajar, passear ou mesmo visitar municípios, estados ou países com risco para a doença.

Mesmo não integrando a campanha de vacinação, houve um aumento significativo de procura pela vacina nas unidades de referência para o viajante, o que tem ocasionado desabastecimento pontuais e momentâneos, não apenas de vacinas, mas também de insumos. Unidades que aplicavam em média 500 doses por mês, nos últimos dias estão vacinando em média mil pessoas por dia.

É preciso reforçar que, para aqueles que não moram ou não trabalham em regiões com recomendação de vacinação, a orientação é procurar as unidades apenas em casos de viagem para áreas de risco.

Quem não mora ou trabalha nas áreas com risco de febre amarela deve aguardar o início da campanha de vacinação fracionada contra a febre amarela previsto para 26 de janeiro e se estendendo até 16 de fevereiro. A vacinação terá como público-alvo os moradores de 15 distritos e segue a recomendação do Ministério da Saúde. Farão parte da ação preventiva na Zona Leste os distritos Cidade Líder, Cidade Tiradentes, Guaianases, Iguatemi, José Bonifácio, Parque do Carmo, São Mateus e São Rafael. Já na Zona Sul serão vacinadas as pessoas que moram ou trabalham em Capão Redondo, Cidade Dutra, Grajaú, Jardim São Luis, Pedreira, Socorro e Vila Andrade. É importante ressaltar que não houve epizootia confirmada nestes distritos, em cuja vacinação vai ocorrer, mas, sim, foi levada em consideração a proximidade com corredores ecológicos e o risco de exposição à doença.

Os moradores dos demais distritos devem aguardar orientações da SMS para buscarem a vacina nos postos.

Adicionar comentário

Cadastre-se em nossa
Newsletter

Receba Notícias, Eventos, e muito mais
da sua Região.
CADASTRAR
Caso não queira se cadastrar ou já tenha se cadastrado,
basta fechar essa janela para continuar lendo.
close-link