Grupo Sul News

Comer chocolate no frio faz bem à saúde

Comer chocolate no frio faz bem à saúde
Sem exagero, pode diminuir o risco de doenças cardiovasculares, câncer, além do estresse e depressão

O frio chega e logo a vontade de comer chocolate aparece. De acordo com pesquisa da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (ABICAB), 23% dos entrevistados declararam que o inverno e o outono são períodos em que mais consomem o produto. As principais razões é que dias gelados e nublados trazem a sensação de tristeza e depressão e o chocolate combate estes sentimentos.

“Ele possui polifenois, que aumentam a produção de serotonina – o famoso hormônio da felicidade que proporciona sensação de bem-estar. Também apresenta triptofano, aminoácido que melhora o humor”, explica a nutricionista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, Kátia Ushiama.

Além do bem-estar, se aliado a uma dieta balanceada, o chocolate torna-se benéfico para a saúde. “O cacau, seu principal componente, é rico em minerais essenciais para o corpo, pele e cabelo, como magnésio, cobre, potássio, manganês e vitaminas”, explica a especialista.

Também possui substâncias antioxidantes e diminui o risco de doenças cardiovasculares, câncer, além do estresse e depressão. “É preciso, no entanto, consumi-lo com moderação, pois pode trazer grande quantidade de açúcar e gorduras, prejudicando, assim, a qualidade da saúde”, ressalta.

Para comer chocolate sem culpa ou se aquecer com bebidas quentes que levam o alimento, a nutricionista Kátia Terumi relacionou os benefícios de cada tipo de chocolate. Confira abaixo:

– Chocolate ao leite – Apesar de ser mais doce que os demais, possui menos gordura hidrogenada. Seu consumo deve ser controlado, pois é mais calórico.

– Chocolate branco – Entre todos os tipos é o menos benéfico à saúde. É muito calórico e rico em gorduras, portanto, as versões sem açúcar, sem lactose e sem glúten são mais indicadas.

– Chocolate amargo – É o mais indicado pela alta quantidade de cacau em sua composição. São menos calóricos, pois possuem menos açúcar e são ricos em flavonoides, que melhoram a circulação. Também é bom para o coração, equilibra o colesterol e diminui o estresse. Seus antioxidantes previnem o envelhecimento precoce.

– Chocolate meio amargo – Pode conter muito açúcar e gordura. Mesmo assim, é uma boa opção para quem não aprecia o forte sabor do amargo.

– Chocolate diet – Não possui açúcar, mas pode conter maior teor de gorduras ou ser até mais calórico do que o chocolate ao leite.

– Chocolate light – Não possui muitos nutrientes e, por isso, pode não valer a pena o seu consumo.

– Chocolate de soja – Fabricado com leite de soja, é rico em nutrientes, proteínas e até fitoquímicos importantes, como a isoflavona, o que faz dele um alimento bastante saudável.

– Chocolate protéico – Feito com Whey Protein (proteína do soro do leite), é rico em proteína e sacia o apetite. Também ajuda a tonificar a musculatura. Mas, pode ter grande quantidade de gorduras e deve ser consumido com limites.

– Alfarroba – Apesar do gosto e aparência iguais, ele não é um chocolate. A alfaborra substitui o cacau na produção do alimento. Não possui glúten, lactose e cafeína e é rico em vitaminas e minerais.

Adicionar comentário

Cadastre-se em nossa
Newsletter

Receba Notícias, Eventos, e muito mais
da sua Região.
CADASTRAR
Caso não queira se cadastrar ou já tenha se cadastrado,
basta fechar essa janela para continuar lendo.
close-link